Eletrônica

Chip de identificação pessoal já está no mercado

Chip de identificação pessoal já está no mercado

Logo depois que o FDA (Federal Drug Administration) afirmou que não controlará a instalação de dispositivos de identificação inseridos no interior do corpo humano, a empresa Digital Applied Solutions anunciou que colocará imediatamente no mercado seu primeiro produto. O órgão do governo norte-americano afirmou que dispositivos desse tipo não contém dados médicos, estando portanto fora de sua área de atuação.

O chip de identificação é um pequeno dispositivo eletrônico, do tamanho de um grão de arroz, que contém as informações pessoais de seu portador. O chip poderá ser instalado sob a pele. O dispositivo emite sinais eletrônicos que podem ser captados por scanners apropriados.

Embora o sinal verde dado pelo FDA iniba um dos grandes argumentos de venda dos chips, que é justamente levar dados médicos principalmente de pessoas com patologias crônicas ou que tomem medicações contínuas, há ainda os nichos de monitoramento de crianças, prisioneiros ou trabalhadores, para que cada um permaneça apenas nos ambientes para os quais tenham autorização.

O chip que está sendo lançado levará, por hora, apenas um número de identificação. Mas esse número poderá ser verificado junto a uma base de dados, onde o restante das informações estará disponível.

A principal preocupação com a proibição de que o implante leve informações médicas é, segundo o FDA, que um paciente inconsciente que leve um chip com informação desatualizada poderá ser mais prejudicado do que se os médicos não tiverem informação nenhuma.

O chip custa cerca de US$200,00.





Outras notícias sobre:

Mais Temas