Eletrônica

Transistores transparentes podem criar uma nova indústria

Pesquisadores da Universidade do Estado do Oregon, Estados Unidos, e da empresa Hewlett Packard, anunciaram o desenvolvimento de uma classe totalmente nova de materiais que poderá ser utilizada para a fabricação de transistores transparentes baratos, estáveis e sem a utilização de produtos danosos ao meio-ambiente.

As possibilidades do novo material incluem produtos eletrônicos tão baratos que poderão ser fabricados para serem utilizados uma única vez, telas de TV e computadores mais finas e maiores ou equipamentos eletrônicos flexíveis, que poderão ser dobrados ou enrolados para serem transportados.

Os novos materiais, chamados de óxidos multicomponentes amorfos de cátions metálicos, foram divulgados em um artigo publicado no periódico científico Applied Physics Letters.

Além de serem transparentes, os novos transistores também têm alta eficiência, o que os torna sérios concorrentes dos transistores feitos com materiais à base de carbono, tanto orgânicos quanto poliméricos.

"Comparados com transistores de materiais orgânicos ou poliméricos, esses novos óxidos inorgânicos têm mobilidade mais alta, melhor estabilidade química, facilidade de fabricação e são fisicamente mais robustos," afirma John Wager, um dos participantes da pesquisa. "Transistores feitos de óxidos já estão à frente dos orgânicos e poliméricos em muitos aspectos, mesmo após os anos de pesquisas dedicados a esses, o que poderá varrer muitos deles do mapa."

Os novos transistores são construídos de películas de óxidos de zinco e estanho. Eles são uma evolução dos transitores de óxido de zinco, que chamaram a atenção do mundo quando foram apresentados como os primeiros transistores transparentes.

Mas o novo material combina as características de diferentes elementos para melhorar o desempenho eletrônico dos transistores. A mobilidade - uma medida da facilidade com que os elétrons circulam pelo material - é pelo menos duas vezes superior a qualquer outro transitor transparente já feito.

Os novos transitores transparentes são amorfos, o que significa que eles não possuem uma estrutura cristalina, o que barateia muito seu processo de fabricação. E estanho e zinco são produtos baratos e largamente disponíveis.

"O que é mais surpreendente, entretanto, é que nós podemos construir transistores de óxido de alta qualidade com esses novos materiais a temperatura ambiente," afirma Wager. A maioria dos circuitos integrados atuais são fabricados utilizando processos produtivos sob temperaturas entre 700 e 1.100° C.

Os cientistas afirmaram também que acreditam que os novos transistores não deverão ameaçar os transistores feitos à base de silício, com os quais são construídos todos os circuitos eletrônicos atuais. Eles até poderão entrar em alguns nichos, mas deverão ser realmente importantes em equipamentos eletrônicos que sequer existem, já que não podem ser construídos com a tecnologia atual.

"A HP está entusiasmada com as possibilidades abertas por essa descoberta especialmente para nossos clientes de produtos de imagem e impressão," afirmou Tim Weber, diretor do laboratório de pesquisas daquela empresa.

No campo dos equipamentos eletrônicos transparentes, poderão ser criadas telas quer permitirão que os pára-brisas dos automóveis transmitam informações. Vidros de qualquer tipo também poderão ser utilizados para transmitir informações ou funcionar como telas. Novos tipos de scanners e máquinas de fotocópias poderão surgir. Mesmo as células solares poderão tirar vantagens dos novos materiais.





Outras notícias sobre:

Mais Temas