Energia

Moto-contínuo: empresa lança desafio à comunidade científica

Moto-contínuo  empresa lança desafio à comunidade científica

"Energia não pode ser gerada a partir do nada." Baseada nas leis da Termodinâmica, esta é uma das "verdades científicas" sagradas, presente em todos os livros-texto. Mas isto não tem impedido que milhares de inventores do mundo todo, em todos os tempos, tentem criar máquinas que gerariam energia gratuita - os chamado moto-contínuos, equipamentos que, uma vez postos em movimento, manter- se-iam nesse estado indefinidamente, sem necessidade de nenhum combustível.

Agora a empresa irlandesa Steorn resolveu levar o desafio mais a sério. Argumentando ter ela própria construído um moto-contínuo, a empresa está convocando os 20 mais importantes físicos do mundo para contestar a sua máquina perpétua de geração de energia.

O desafio está aberto, e físicos do mundo todo poderão se inscrever. A empresa afirmou que irá selecionar os 20 profissionais mais conceituados dentre os inscritos. O desafio é simples: testar a tecnologia de energia livre da empresa e publicar seus resultados.

A empresa colocou um anúncio na conceituada revista de economia The Economist, na tentativa de atrair os mais importantes cientistas no campo da física experimental.

A tecnologia é baseada na interação de campos magnéticos e, segundo a Steorn, produz energia limpa, sem poluentes e constante, podendo ser utilizada em qualquer equipamento que precise dela, de telefones celulares a carros.

"Durante os anos de seu desenvolvimento, nossa tecnologia foi validada por vários cientistas e engenheiros independentes. Agora nós estamos procurando vinte dos [membros] mais qualificados e mais céticos da comunidade científica mundial para formar um júri independente, testar a tecnologia em laboratórios independentes e publicar suas descobertas," disse Sean McCarthy, fundador da empresa.

Segundo o princípio da conservação de energia, um dos princípios fundamentais do entendimento atual de todo o universo, energia não pode ser nem criada e nem destruída - ela apenas muda de forma.





Outras notícias sobre:

Mais Temas