Meio ambiente

Telefone celular pode ser plantado e brota de verdade

Telefone celular pode ser plantado e brota de verdade

Nunca um aparelho eletrônico se disseminou tão rapidamente pelo mundo quanto o telefone celular. Esta expansão diminuiu ainda mais os preços e tornou possível que as pessoas troquem constantemente de aparelho, por gosto ou em busca de alguma função nova, aumentando ainda mais o consumo, numa espiral contínua.

O problema é que essa espiral crescente significa que, dia após dia, mais e mais telefones celulares são jogados no lixo. E, como todo equipamento eletrônico, sua reciclagem ainda não é muito grande. Embora os fabricantes tenham que recolher as baterias, todo o restante do aparelho ainda é um problema ambiental sério.

Agora pesquisadores da Universidade de Warwick, Inglaterra, em colaboração as empresas PVAXX e Motorola, criaram um telefone celular que, quando descartado, pode ser simplesmente plantado. Além de se degradar, uma planta nasce de verdade.

O Dr. Kerry Kirwan utilizou materiais biodegradáveis de última geração, fornecidos pela PVAXX, para criar uma capa de telefone celular que contém, em seu interior, uma semente. A semente fica em dormência durante o período de uso normal do telefone. Quando ele é descartado, a capa pode ser colocada em um vaso e se degrada rapidamente, deixando livre a semente, que então germina.

A semente fica dentro de uma seção transparente da capa do celular, sendo visível para o usuário. Nesta primeira etapa da pesquisa, os cientistas utilizaram sementes de girassol-anão. Agora uma outra equipe, formada por botânicos, está estudando quais as sementes que melhor se adaptarão a esse novo uso.

A empresa Motorola não divulgou quando pretende colocar os celulares-planta no mercado.





Outras notícias sobre:

Mais Temas