Espaço

Novo sistema de propulsão poderá levar espaçonave a Marte em três meses

Redação do Site Inovação Tecnológica - 03/11/2004

Novo sistema de propulsão poderá levar espaçonave a Marte em três meses

A nova tecnologia foi batizada de propulsão por feixe magnetizado de plasma, ou "mag-beam". O engenheiro Robert Winglee, chefe do projeto, afirmou que naves impulsionadas por mag-beam poderão tornar rotineiras as viagens espaciais de longa distância.

Atualmente, utilizando as tecnologias convencionais e ajustando o lançamento conforme a posição das órbitas da Terra e Marte, é possível planejar uma missão ao planeta vermelho - compreendendo ida, missão científica e retorno - em dois anos e meio.

"Nós estamos tentando ir a Marte e voltar em 90 dias," afirma Winglee. "Nossa filosofia é que, se for para levar dois anos e meio, as chances de uma missão ter sucesso são muito baixas."

A propulsão por feixe magnetizado de plasma é uma dentre doze propostas inovadoras recebidas pela NASA e que foram aprovadas para um estágio de pesquisa inicial. Esta é a única a lidar com sistemas de propulsão. Os estudos durarão seis meses e selecionarão as propostas que se mostrarem viáveis. As vencedoras então passarão para a segunda fase e receberão US$400.000,00 de financiamento cada uma.

No conceito do feixe magnetizado de plasma, uma estação espacial deverá gerar um feixe de íons magnetizados que irá interagir com uma vela magnética instalada na espaçonave, empurrando-a através do Sistema Solar a velocidades que aumentarão quanto maior for o feixe de plasma.

O professor Winglee estima que um canhão de 32 metros de diâmetro poderá gerar um feixe de plasma capaz de impulsionar uma espaçonave a 11,7 quilômetros por segundo. Isto representa cerca de 42.000 quilômetros por hora ou 500.000 quilômetros por dia. A essa velocidade seria possível cobrir os 48 milhões de quilômetros que separam Marte da Terra em pouco mais de três meses.

Mas a espaçonave terá que brecar para entrar em órbita de Marte. Isto exigirá que uma segunda estação geradora de íons esteja estacionada em Marte, emitindo os íons que farão com que a nave diminua sua velocidade.

Se o conceito se provar eficaz, Winglee vislumbra uma série de estações emissoras de íons estacionadas ao longo de todo o Sistema Solar, permitindo que as viagens se tornem rápidas e rotineiras.

Outras notícias sobre:

Mais Temas