Informática

Fita magnética consegue armazenar 8 terabytes de dados

Fita magnética consegue armazenar 8 terabytes de dados

Em tempos de DVDs de alta definição e discos ópticos com laser azul, você saberia dizer qual é o meio de armazenamento digital mais duradouro - aquele que consegue manter os dados intactos por mais tempo?

Não se assuste, mas são as fitas magnéticas, que têm uma vida útil estimada em um século. Poucos fabricantes de CDs e DVDs garantem a manutenção de dados gravados em seus produtos por mais do que 10 anos. Não é à toa que todos os dados financeiros e empresariais continuam sendo arquivados nas confiáveis fitas magnéticas.

É claro, como todas as demais tecnologias de armazenamento, as fitas magnéticas evoluíram muito. E os cientistas da IBM parecem dispostos a não permitir que uma mídia tão duradoura fique para trás. Eles acabam de bater o recorde de densidade de armazenamento em fitas magnéticas.

A nova fita consegue registrar 6,67 bilhões de bits por polegada quadrada - mais de 15 vezes a densidade das melhores fitas atuais. Isso significará colocar 8 terabytes de dados em uma fita LTO ("Linear Tape Open"), o padrão da indústria, com menos da metade do tamanho de uma fita VHS comum.

Oito terabytes de dados é mais ou menos o conteúdo de 8 milhões de livros. Para ter uma biblioteca dessas, você precisaria de nada menos do que 90 quilômetros de prateleiras.

A tecnologia que permitiu o aumento da capacidade de armazenamento utiliza um novo material magnético chamado ferrite de bário. Também é a primeira vez que a leitura de fitas magnéticas emprega o efeito da magnetorresistência gigante, o mesmo utilizado nos discos rígidos mais modernos.

A pesquisa foi feita em parceria com a empresa japonesa Fuji. Os cientistas afirmaram que a nova tecnologia, que emprega uma dupla camada de material magnético, poderá estar no mercado em cinco anos.





Outras notícias sobre:

Mais Temas