Materiais Avançados

Óleo que vira sólido em milissegundos chega ao mercado

Óleo que vira sólido em milisegundos chega ao mercado

Fluido magneto-reológico

A tecnologia de fluidos magneto-reológicos está se movendo rapidamente dos laboratórios para aplicações comerciais.

Uma série de produtos foi recentemente lançada, mostrando que descobertas científicas não precisam demorar para serem aperfeiçoadas e chegar ao mercado.

Fluidos magneto-reológicos consistem em um óleo que possui micro-partículas magnetizáveis em suspensão.

Sob condições normais, o fluido é um líquido com a viscosidade semelhante a um óleo lubrificante de motores de automóveis. Entretanto, quando submetido à ação de um campo magnético, o fluido se torna praticamente sólido em uma questão de milissegundos.

E, com a mesma rapidez, o quase-sólido pode retornar à condição de líquido, assim que o campo magnético for removido. O grau de alteração do fluido depende da magnitude do campo magnético aplicado.

Amortecedor inteligente

A empresa norte-americana Lord Corporation lançou um óleo magneto-reológico que já está equipando os amortecedores de uma linha de carros de luxo.

Amortecedores construídos com o novo óleo fornecem um controle eficaz da dissipação de energia, não apenas para dispositivos voltados à indústria automobilística, mas para uma série de equipamentos industriais.

Os usos incluem amortecedores para suspensão de carros e caminhões, sistemas de amortecimentos de bancos, feedback em sistemas "by-wire" em automóveis, controle pneumático, amortecimento de abalos sísmicos e mesma na fabricação de próteses.

Fluidos reológicos

Micro-partículas de ferro em suspensão no óleo formam instantaneamente uma cadeia, assim que submetidas a um campo magnético, alterando a viscosidade específica do material.

Fluidos magneto-reológicos são semelhantes aos eletro-reológicos, mas entre 20 e 50% mais fortes. Eles podem ser também operados a partir de fontes de alimentação de baixa tensão, são menos sensíveis a contaminantes e operam em faixas de temperaturas muito mais amplas.





Outras notícias sobre:

Mais Temas