Anúncios





Meio ambiente

Dessalinizador gera água potável com energia solar

Redação do Site Inovação Tecnológica - 01/10/2003

A necessidade de água potável em muitas partes do mundo poderá ser suprida por meio de uma fonte natural: a luz do Sol. Engenheiros da Universidade da Flórida (Estados Unidos) desenvolveram um sistema que utiliza vácuo induzido por gravidade e energia solar, ao invés de eletricidade ou combustíveis fósseis para dessalinizar água. Com isto, a necessidade de água potável em muitas partes do mundo poderá ser suprida por meio de uma fonte natural e renovável de energia: a luz do Sol.

O sistema é significativamente mais eficiente do que os dessalinizadores a energia solar já conhecidos. Além disso, ele é simples e barato o suficiente para ser construído em locais remotos onde o suprimento convencional de energia elétrica pode ser muito caro ou mesmo impraticável.

"Nós sabemos que a natureza utiliza energia solar para extrair água pura da água salgada," afirma Yogi Goswami, professor de Engenharia Mecânica do Laboratório de Energia Solar daquela Universidade. "Nós usamos o mesmo processo da natureza, exceto que nós aceleramos o processo."

A natureza tem o seu próprio processo de dessalinização. A água pura evapora do oceano, forma nuvens, condensa-se e cai sob a forma de chuva. Os cientistas recriaram e aceleraram esse processo explorando a energia solar e a pressão atmosférica natural.

O cerne do novo sistema consiste em um tubo em formato de U, colocado de cabeça para baixo, com uma das pontas suspensa sobre um tanque de água salgada e a outra sobre outro tanque, mas com água potável. Quando o cano de cerca de 10 metros de altura é preenchido com água, uma parte dela cai para os tanques, criando um vácuo em sua parte mais alta.

A área do cano onde ocorre o vácuo é cercada por um evaporador que circula água aquecida por um coletor solar. O calor faz com que a água salgada comece a evaporar, um processo que é facilitado pelo vácuo porque ele baixa significativamente o ponto de evaporação da água. O vapor resultante adentra então em um condensador, que o faz voltar ao estado líquido, já como água potável, sem sal. A água pura segue então pela segunda perna do U até o tanque de água dessalinizada.

Testes em uma versão experimental, em pequena escala, mostraram uma eficiência do sistema de 90%, o que significa que 90% da energia solar levada ao dessalinizador foi utilizada no processo. Os equipamentos até agora apresentados não superam os 50% de eficiência, segundo o Dr. Goswami. Embora o sistema experimental produza apenas cerca de um copo de água pura a cada hora, ele pode ser construído em maior escala, aumentando essa produção.

A dessalinização da água do mar há muito tempo tem sido considerada uma opção atrativa para a crescente demanda mundial de água potável. Afinal, os oceanos têm nada menos do que 97,5% de toda a água do planeta. Mas os sistemas atuais de dessalinização consomem muita energia, tornando-os impraticáveis para países muito pobres.

O novo sistema, construído de tubos comuns e outras peças largamente disponíveis no comércio, oferece uma solução potencialmente de baixo custo para dessalinizar a água do mar em locais remotos. Apesar de sua baixa produção, ele pode ser facilmente aplicado para servir pequenas comunidades que não dispõem de energia ou cujo custo da energia elétrica seja muito elevado.

Outras notícias sobre:

Mais Temas