Anúncios





Robótica

Braço biônico revoluciona campo das próteses

Redação do Site Inovação Tecnológica - 16/08/2007

Braço biônico revoluciona campo das próteses

Depois do pé-robótico, agora é o mais avançado braço biônico que chega para revolucionar o campo das próteses biônicas. O protótipo de braço robótico totalmente integrável ao corpo do paciente foi apresentado por médicos e engenheiros da Universidade Johns Hopkins, Estados Unidos (outro braço biônico pode ser visto em Primeira paciente feminina recebe implante de braço biônico).

Braço biônico

O braço biônico pode ser controlado naturalmente, oferece feedback sensorial e permite até oito graus de liberdade - um nível de controle muito acima de qualquer prótese hoje existente no mercado.

"Esse avanço representa um primeiro passo significativo em um programa ambicioso que se estenderá por quatro anos e envolve mais de 30 parceiros, incluindo agências do governo, universidades e empresas privadas dos Estados Unidos, Europa e Canadá," explica Stuart Harshbarger, coordenador da pesquisa.

É por isso que o braço biônico foi batizado de Proto 1: os cientistas acreditam que poderão melhorá-lo muito ao longo dos próximos anos.

Reinervação

O maior avanço da nova prótese parece ser a sua integração ao corpo da pessoa que sofreu a amputação e que recebe o implante. O equipamento é conectado ao nervos residuais do braço amputado por meio de uma técnica chamada Reinervação Muscular Dirigida. No caso deste protótipo, os nervos foram transferidos da área peitoral do paciente.

A técnica de reinervação permite uma forma mais intuitiva de controle do braço biônico e dá uma sensação mais natural de força e toque, permitindo que o paciente pegue objetos com total naturalidade.

O paciente que recebeu o implante, Jesse Sullivan, já consegue mover seu polegar para permitir diferentes níveis de força e posição. Ele também consegue desempenhar tarefas impossíveis de se fazer com próteses comuns, como retirar um cartão de crédito de sua carteira, empilhar copos sem quebrá-los e andar balançando o braço de uma forma totalmente natural.

Outras notícias sobre:

Mais Temas