Robótica

Bio-robô viaja pela corrente sangüínea e desentope veias

Redação do Site Inovação Tecnológica - 26/10/2007

Bio-robô viaja pela corrente sangüínea e desentope veias

Robôs capazes de entrar pelo corpo humano e corrigir problemas sem a necessidade de uma cirurgia são um sonho antigo que povoa o imaginário e toda a literatura de ficção científica. Vários grupos de roboticistas ao redor do mundo têm levado essa tarefa a sério, com alguns progressos muito interessantes.

Robõs cirurgiões

No início deste ano, cientistas japoneses apresentaram um robô que navega e faz cirurgia no interior do corpo humano. Já vimos também nanorobôs para substituir o sangue humano e até um bio-robô movimentado por células do coração. Mas os conceitos vão bem além e chegam até ao projeto de biocomputadores moleculares implantáveis que um dia poderão revolucionar a medicina.

Cateterismo robotizado

Agora, cientistas da Universidade Chonnam, na Coréia do Sul, apresentaram um robô quase microscópico que é capaz de navegar pelas veias e artérias humanas e desentupí-las, um procedimento médico hoje feito por meio de uma técnica chamada cateterismo.

Ao contrário do robô japonês CapCel, que mede 2 centímetros de comprimento, o novo robô-médico coreano é minúsculo, medindo menos do que 1 milímetro, o que o coloca, em termos de tamanho, na classe dos micro-robôs. Houve uma diminuição de quase 50% em relação ao modelo anterior.

Bio-robô

Mas ele está também na categoria dos bio-robôs, não apenas por interagir com o corpo humano, mas também devido à forma como ele se movimenta. O "bio-micro-robô" navega através das veias e artérias com a ajuda de seis pernas acionadas por músculos do coração crescidos artificialmente.

Esse mecanismo de acionamento elimina a necessidade de baterias e de qualquer forma de alimentação externa, já que as células musculares alimentam-se naturalmente dos açúcares disponíveis no sangue.

Liberação de medicamento

Ao invés de um braço artificial, que seria complicado de construir, operar e, sobretudo, miniaturizar, além dos riscos de uma manipulação indevida nas paredes das veias e artérias, ao encontrar um entupimento ou estreitamento no vaso sangüíneo o robô libera um medicamento que dissolve o acúmulo que atrapalha a circulação normal do sangue.

Outras notícias sobre:

Mais Temas