Robótica

Robôs industriais poderão sentir presença humana

Redação do Site Inovação Tecnológica - 14/11/2007

Robôs industriais poderão sentir presença humana
Sensor de torque incorporado à junta do robô industrial.[Imagem: DLR]

Ao contrário dos robôs-assistentes, que estão sendo projetados para servir de companhia para crianças, pessoas idosas e doentes, os robôs industriais ainda não são muito diferentes de qualquer outro equipamento industrial - grandes, pesados e com um jeitão de "mantenha distância."

Robôs industriais sensíveis

Agora, a equipe do professor Sami Haddadin, da Agência Aeroespacial Alemã, está tentando transformar os robôs industriais, de drones insensíveis e ameaçadores, em máquinas mais inteligentes e sociáveis - pelo menos o suficiente para que eles possam "sentir" a presença de humanos ao seu redor.

"Acidentes acontecem. Nós temos que admitir que, quando as pessoas começam a trabalhar muito próximo aos robôs, algumas vezes eles acertam as pessoas," disse Haddadin à New Scientist.

Riscos ao trabalhador

É por isso que ele está aprimorando um novo robô capaz de detectar quando ele atinge uma pessoa. Desta forma o robô poderá parar imediatamente, diminuindo a gravidade do acidente e evitando que o trabalhador seja ferido gravemente.

Hoje, os operários devem ficar fora do raio de ação dos robôs industriais. Se alguém passa pela linha, um alarme é disparado e o robô é desligado imediatamente.

Sensores de torque

Os sers humanos são capazes de sentir qualquer impacto graças a receptores especiais em nossos músculos e juntas. Haddadin está dando ao robô industrial essa mesma sensação de movimento - um sentido cinestético - incorporando sensores de torque a cada uma de suas seis juntas.

Construídos com uma série de folhas metálicas que têm sua resistência elétrica alterada quando submetidas a uma tensão mecânica numa determinada direção, esses sensores fornecem um feedback constante da direção e da grandeza das forças a que o braço robótico está submetido.

Os robôs industriais são programados para executar uma série de movimentos bem definidos. O pesquisador criou um banco de dados com as alterações no torque do braço robótico durante sua operação normal. Com a incorporação dos sensores, qualquer variação nesse padrão faz com que o robô pare imediamente.

Outras notícias sobre:

Mais Temas