Robótica

Inseto ciborgue é o primeiro a sobreviver ao implante de chips

Redação do Site Inovação Tecnológica - 25/06/2007

Inseto ciborgue é o primeiro a sobreviver ao implante de chips
O implante é feito na fase de larva - a mariposa já nasce ciborgue. [Imagem: Cornell University]

Cientistas da Universidade de Cornell, Estados Unidos, afirmaram ter conseguido o primeiro sucesso em sua pesquisa para implantar dispositivos eletrônicos em insetos.

A mariposa Manduca Sexta sobreviveu depois que um chip foi implantado quando ela ainda era uma lagarta.

Micro-veículos autônomos

Vários grupos de cientistas trabalham no desenvolvimento de micro-veículos autônomos, principalmente para a coleta de informações por meio de micro- sensores. Mas essas pesquisas esbarram em uma grande variedade de dificuldades, como a quantidade de combustível, os minúsculos motores e a aerodinâmica.

Já os insetos têm todos esses problemas resolvidos pela natureza.

Simplesmente colar os equipamentos eletrônicos sobre o corpo dos insetos também não é um solução adequada, porque assim não haveria nenhum controle sobre o vôo e os cientistas somente por acaso conseguiriam coletar dados dos locais desejados e pelo tempo necessário.

Insetos ciborgues

A solução encontrada foi criar insetos ciborgues, implantando os dispositivos eletrônicos no corpo dos insetos.

Para evitar a rejeição pelo organismo dos animais, os cientistas resolveram implantar os equipamentos ainda na fase de larva.

Desta forma o inseto se desenvolve já com os implantes eletrônicos em seu corpo, que passam a fazer parte de seu organismo e não mais sofrem rejeição.

Quando nasce, o inseto já é um cirborgue completamente funcional.

A teoria pode parecer simples, mas há ainda um longo caminho até que os insetos adultos possam ser totalmente controlados.

A mariposa agora apresentada foi o primeiro exemplar de um inseto ciborgue que sobreviveu à metamorfose, chegando à idade adulta com todos os implantes eletrônicos funcionando e apresentando plenas condições de voar.

O implante eletrônico é um chip microfluídico, que consegue interagir com as funções vitais do animal ciborgue.

Outras notícias sobre:

Mais Temas