Plantão

Antena nacional levará internet a carros de polícia e bombeiros

Antena móvel

A primeira antena totalmente brasileira para aplicações na área de segurança pública - na faixa de 4,9 GHz - foi desenvolvida pelo CPqD, em Campinas (SP).

A nova antena de 4,9 GHz é o primeiro resultado concreto do projeto Radiofrequência para Redes Sem Fio Banda Larga Aplicadas à Segurança Pública, que vem sendo desenvolvido no CPqD com apoio do Fundo Nacional para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações (Funttel), do Ministério das Comunicações.

Seu desenvolvimento aproveitou o conhecimento tecnológico acumulado pelo CPqD em um projeto anterior, na área de sistemas WiMAX (padrão IEEE 802.16-2005), e contemplou sua adequação a aplicações em segurança pública - polícia, bombeiros, defesa civil, entre outros.

A antena manterá uma conexão a partir de um terminal - estação rádio base -, permitindo o acesso à internet banda larga diretamente dessas unidades.

Isso dará acesso a mapas de localização e rastreamento, permitirá a troca de imagens e o acesso a bancos de dados da polícia, por exemplo.

Rádios MIMO

O uso da faixa de frequência de 4,9 GHz para esse tipo de aplicação é uma recomendação recente da União Internacional de Telecomunicações (UIT), para todo o mundo.

A nova antena é adequada para aplicações em rádios com tecnologia MIMO (multiple-input and multiple-output), com grande potencial de adoção nas redes móveis de quarta geração (4G).

Os rádios MIMO utilizam múltiplas antenas tanto no transmissor como no receptor, de modo a melhorar a qualidade e o desempenho da comunicação.

Mesmo tendo sido desenvolvida para operar na faixa de 4,9 GHz, a nova antena pode ser adaptada para outras faixas de frequência, podendo até mesmo se tornar uma opção para o Programa Nacional de Banda Larga.

A tecnologia já foi licenciada e as primeiras unidades serão colocadas no mercado pela TSM Antennas, de Santa Maria (RS).





Outras notícias sobre:

Mais Temas