Robótica

Aprendizado cerebral: Ondas cerebrais de professor ensinam aluno

Ondas cerebrais de professor melhoram aprendizado de aluno
Os estudantes que receberam uma estimulação transcraniana com as ondas cerebrais dos professores aprenderam mais e mais rapidamente. [Imagem: HRL Laboratories]

Aprendizado cerebral

Imagine aprender algo recebendo diretamente as ondas cerebrais do seu professor. Não, não se trata de telepatia e de nenhum truque tentando lhe vender algo que não funciona.

Quem está por trás destes novos experimentos é a equipe do professor Matthew Phillips, dos Laboratórios HRL, pertencentes à Boeing.

O controle de equipamentos, computadores e próteses robotizadas já é comum, sendo feito a partir das ondas cerebrais coletadas pelo conhecido exame de eletroencefalograma, que usa sensores postos sobre o crânio.

As ondas coletadas são então interpretadas por um programa que se responsabiliza por controlar o equipamento.

Treinamento com ondas cerebrais alheias

Em vez de usar as ondas cerebrais para controlar diretamente o programa, Phillips utilizou-as para treinar um outro usuário, um aprendiz, que estava estudando para executar a mesma tarefa.

"Nós medimos os padrões de atividade cerebral de seis pilotos comerciais e militares, e depois transmitimos esses padrões para indivíduos novatos à medida que eles aprendiam a pilotar um avião em um simulador de voo realista," conta o pesquisador.

Para a transmissão das ondas do piloto treinado para o piloto aprendiz foi utilizada uma outra técnica também bem conhecida da Medicina, a estimulação transcraniana por corrente contínua, já utilizada em outros experimentos para tentar melhorar a cognição e a memória, mas ainda sem resultados inequívocos.

E deu certo, com os aprendizes que receberam a estimulação craniana com ondas lidas do cérebro dos pilotos profissionais aprendendo mais rapidamente e apresentando um "controle mais fino" da aeronave no simulador.

Vestibular e aprendizagem de idiomas

Phillips ficou tão satisfeito com os resultados no treinamento dos pilotos que já fala na utilização da técnica em outras áreas.

"É possível que a estimulação do cérebro possa ser implementada em turmas para a formação de motoristas, cursinhos pré-vestibular e aprendizagem de línguas," disse ele.

"À medida que descobrimos mais sobre como otimizar, adaptar e personalizar os protocolos de estimulação do cérebro, provavelmente veremos essas tecnologias se tornando rotineiras em ambientes de treinamento e nas salas de aulas," previu.

Bibliografia:

Transcranial Direct Current Stimulation Modulates Neuronal Activity and Learning in Pilot Training
Jaehoon Choe, Brian A. Coffman, Dylan T. Bergstedt, Matthias D. Ziegler, Matthew E. Phillips
Frontiers in Human Neuroscience
Vol.: Published online
DOI: 10.3389/fnhum.2016.00034




Outras notícias sobre:

Mais Temas