Robótica

"Argilotrônica" formará qualquer objeto com micro-robôs automontantes

A "argilotrônica" bem poderia ser a tentativa de incorporar funcionalidades eletrônicas em materiais feitos de cerâmica. Mas os engenheiros da Universidade Carnegie Mellon, nos Estados Unidos, estão pensando em algo muito mais "high- tech".

Claytronics

O termo em inglês, Claytronics, suscita uma idéia de plasticidade unida à eletrônica. O filme mostra bem a idéia dos pesquisadores. Por enquanto trata-se apenas de uma montagem digital para divulgar o conceito, que poderá um dia revolucionar a forma como os projetistas e designers criam novos produtos.

O projeto Claytronics combina robótica modular, sistemas microeletromecânicos (MEMS) e ciência da computação para criar uma versão tridimensional de qualquer objeto que possa ser desenhado no computador, em programas de CAD, por exemplo.

Dando concretude à informação

Segundo os pesquisadores, seu objetivo é transformar a informação - os bits digitais que representam as imagens - em formas tangíveis e interativas, de tal forma que os ambientes digitais possam ser experimentados sem que o usuário perceba a diferença entre o que é virtual e o que é real.

Cátomos

Os objetos tridimensionais não serão simplesmente projeções holográficas, mas objetos reais montados a partir de unidades básicas, que os pesquisadores batizaram de cátomos (Claytronics Atoms), os átomos da argilotrônica.

Os cátomos deverão ser capazes de se unir uns aos outros para formar os objetos. No limite, para que os materiais resultantes pareçam realmente lisos ao toque, milhões desses cátomos deverão participar na formação de cada objeto.





Outras notícias sobre:

Mais Temas