Espaço

Astrônomos detectam elemento precioso no espaço

Astrônomos detectam elemento precioso no espaço
O hélio-3 foi detectado com o radiotelescópio de 70 metros pertencente ao Complexo de Comunicações com o Espaço Profundo de Madri. [Imagem: Universidade de Manchester]

Hélio-3

Astrônomos detectaram um gás raro e valioso a 4.000 anos-luz de distância da Terra.

Apesar de ser longe demais para que seja possível minerá-lo, acredita-se que o mesmo gás esteja presente na Lua e em locais mais próximos.

O gás é o hélio-3, que poderá ser usado como combustível nas futuras usinas de fusão nuclear e em naves espaciais, mas já é essencial para a criogenia e em equipamentos de imageamento médico.

O problema é que há muito pouco hélio-3 disponível naturalmente na Terra, de forma que ele precisa ser produzido a um custo muito elevado em laboratórios nucleares.

Hélio nas estrelas

O hélio-3 nasce em estrelas de pequena massa - menos que duas vezes a massa do Sol - que expelem a maior parte de sua matéria para o espaço no final de suas vidas, formando uma nebulosa planetária, o que deverá acontecer com o Sol em cerca de 5 bilhões de anos.

Esse processo deverá lentamente enriquecer o Universo com hélio-3. De todos os elementos produzidos em estrelas (que vão do carbono ao urânio), o hélio-3 é o que leva mais tempo para alcançar o espaço.

Pelo menos essa é a teoria, mas a equipe descobriu uma quantidade de hélio-3 na nebulosa IC 418 muito maior do que se calculava: 500 vezes mais do que a porcentagem relativa do gás na Terra.

Lizette Guzman-Ramirez e seus colegas da Universidade de Manchester, no Reino Unido, dizem não ter explicações para a quantidade de hélio-3 observada, já que ela não bate com o que as teorias dizem sobre a criação desse elemento nas estrelas - de fato, até agora sabe-se muito pouco sobre sobre seu processo de criação.

Para os futuros mineradores espaciais, contudo, esta pode ser uma boa notícia, já que, encontrando-o em maior concentração, poderá ser mais fácil coletar o elemento.

Bibliografia:

First detection of 3He+ in the planetary nebula IC 418
L. Guzman-Ramirez, J. R. Rizzo, A. A. Zijlstra, C. García-Miró, C. Morisset, M. D. Gray
Monthly Notices Letters of the Royal Astronomical Society
Vol.: 460 L35-L39
DOI: 10.1093/mnrasl/slw070




Outras notícias sobre:

Mais Temas