Espaço

Bolha magnética vai proteger naves na reentrada

Bolha magnética vai proteger naves na reentrada
A nave arrastará consigo um "pedaço de atmosfera", efetivamente criando um pára-quedas de gás ionizado. [Imagem: MSNW]

Escudo magnético

Se ir ao espaço exige foguetes grandes e caros, voltar de lá coloca outros desafios, como sobreviver à reentrada na atmosfera.

Como defeitos no escudo de proteção térmica das naves foram responsáveis por um dos mais graves acidentes da NASA - a destruição do ônibus espacial Colúmbia - a agência espacial está apostando em novas tecnologias para vencer o atrito e o calor gerado na reentrada.

O novo conceito, chamado "escudo magnético para aerocaptura", consiste em uma espécie de pára-quedas feito de plasma aprisionado por um campo magnético.

Enquanto a magnetosfera da Terra nos protege da radiação solar, os engenheiros acreditam que uma bolha semelhante criada em torno de uma nave irá criar arrasto, diminuindo a velocidade na reentrada e protegendo a nave do calor.

A NASA encomendou uma demonstração a duas empresas privadas, que deverão conduzir os testes ainda este ano.

Pára-quedas de plasma

A demonstração inicial será feita em um nanossatélite lançado a partir da Estação Espacial Internacional.

O pequeno satélite, do tamanho de uma caixa de sapatos, terá uma bobina de cobre que, alimentada por uma bateria de íons de lítio, irá gerar um campo magnético ao redor da sonda.

Bolha magnética vai proteger naves na reentrada
O conceito será testado para pequenas naves porque aparentemente consumiria energia demais em naves grandes. [Imagem: NASA]

Conforme desce rumo ao solo, a pequena nave vai ejetar uma pequena quantidade de plasma, que ficará preso no campo magnético, criando uma bolha protetora que impedirá que as moléculas de ar colidam com o nanossatélite e gerem calor.

Desviadas, essas moléculas do ar fluirão para dentro da bolha de plasma e absorverão elétrons, tornando-se ionizadas. Esse ar novo recém-ionizado também ficará preso no campo magnético, de forma que a nave acabará arrastando consigo um "pedaço de atmosfera", efetivamente criando um pára-quedas de gás ionizado.

Disco voador inflável

Quando uma nave entra na atmosfera de um planeta, ela choca-se com as moléculas do ar em alta velocidade, criando um calor intenso. Estruturas projetadas para criar arrasto podem desacelerar a descida, mas as sondas e naves espaciais também devem contar com escudos de calor para proteger a carga ou os astronautas. Quanto mais pesada a carga, mais difícil é fazer com que a nave chegue inteira ao solo.

O escudo magnético parece ser mais eficaz para naves pequenas e cubesats, podendo tanto reduzir a velocidade, como reduzir o calor dentro do satélite.

Para naves maiores, a NASA está testando tecnologias mais leves, como um disco voador inflável projetado para ser usado em futuras missões a Marte.





Outras notícias sobre:

Mais Temas