Espaço

Buracos negros podem ser observados a olho nu, dizem astrônomos

Buracos negros podem ser observados a olho nu, dizem astrônomos
Segundo os astrônomos, a atividade dos buracos negros pode ser observada pela luz visível emitida durante explosões que ocorrem quando ele absorve matéria, e que a luz piscante que surge dos gases que circundam o buracos negro é um indicador direto de sua atividade. [Imagem: Eiri Ono/Kyoto University]

Buracos negros a olho nu

Uma ideia radical está sendo defendida por uma equipe internacional de astrônomos - nada menos que 68 deles assinam o artigo.

Segundo a turma, é possível ver diretamente, em luz visível, a atividade dos buracos negros. Tudo o que você precisaria seria de um telescópio de 20 centímetros em se tratando do buraco negro observado pela equipe.

Há muito se sabe que os buracos negros emitem jatos de alta energia ao engolir a matéria que ultrapassa seu horizonte de eventos, gerando os chamados ventos de buracos negros, que podem ser observados na forma de radiação na faixa dos raios X ou gama.

"Agora sabemos que podemos fazer observações com base em raios ópticos - luz visível, em outras palavras - e que os buracos negros podem ser observados sem telescópios avançados de raios X ou raios gama," disse Mariko Kimura, da Universidade de Kyoto, no Japão.

Luz visível de buracos negros

Observando o sistema V404 Cygni, um binário de um buraco negro planetário e uma estrela, a equipe descobriu que, juntamente com as emissões já conhecidas de raios X, há padrões repetitivos na atividade do buraco negro em radiação visível, em períodos que variam de alguns minutos a várias horas.

Isso ocorre, segundo a equipe, porque os raios X aquecem a região externa do disco de acreção do buraco negro, fazendo essa região emitir raios de luz visível, o que, de certa forma, torna o buraco negro visível para o olho humano.

O estudo também revelou que essas variações repetitivas ocorrem quando o buraco negro engole mesmo uma quantidade pequena de matéria, apenas um décimo do que se supunha anteriormente.

Isto indica que a taxa de acreção de massa não é o principal fator desencadeante da atividade repetitiva em torno dos buracos negros, para isso influindo também a duração dos períodos orbitais do binário.

Bibliografia:

Repetitive patterns in rapid optical variations in the nearby black-hole binary V404 Cygni
Mariko Kimura et al.
Nature
Vol.: 529 (7584): 54
DOI: 10.1038/nature16452




Outras notícias sobre:

Mais Temas