Energia

Cabos supercondutores impressos são mais baratos

Fitas supercondutoras são impressas
Depois de "impressas", as fitas supercondutoras são recobertas com várias camadas isolantes para proteção.[Imagem: Eurotapes/Divulgação]

Fitas supercondutoras

Os cabos supercondutores já estão batendo recordes de corrente elétrica há algum tempo.

Mas eles ainda são enormes e caros, em grande parte porque são difíceis de fabricar, baseados em materiais muito quebradiços.

A solução está vindo na forma de fitas supercondutoras, que podem ser fabricadas por uma técnica de baixo custo e montadas umas sobre as outras ou torcidas para formar cabos flexíveis.

"É um avanço real produzir supercondutores com esta técnica, já que seus custos de produção serão muito menores do que com os métodos existentes," disse Xavier Obradors, do Instituto de Ciências dos Materiais da Espanha, coordenador do projeto Eurotapes, financiado pela União Europeia.

A equipe desenvolveu duas técnicas para fabricar as fitas supercondutoras.

A primeira é baseada em um processo de deposição química. A segunda usa misturas nas quais são diluídos nanocompósitos com dimensões entre 1 e 100 nanômetros. Essa mistura é aplicada como se fosse uma tinta, em um processo adaptado da impressão a jato de tinta.

Aplicações tecnológicas

Obradors afirma que as fitas supercondutoras, flexíveis e de baixo custo, poderão tornar as turbinas eólicas duas vezes mais eficientes ao permitir a substituição dos cabos de cobre usados hoje em seus geradores.

A equipe espera também que seus "cabos impressos" sejam utilizados no projeto de reatores de fusão nuclear e na fabricação de equipamentos de ressonância magnética mais eficientes e menores.

Mas há várias outras possibilidades de uso, às quais a equipe pretende se dedicar na fase final do projeto, voltada à identificação de aplicações tecnológicas. Esta fase deverá durar até Fevereiro de 2017.





Outras notícias sobre:

Mais Temas