Robótica

Carros sem motorista: homens querem, mulheres nem tanto

Carros sem motorista: homens querem, mulheres nem tanto
É grande a diferença nas preferências por carros totalmente autônomos e carros semiautônomos. [Imagem: Umich]

Automação veicular

Embora apenas uma pequena porcentagem dos motoristas afirme que se sentiria completamente confortável em um carro sem motorista, muitos deles confessam que não têm nenhum problema, desde que tivessem algum controle sobre o veículo.

Brandon Schoettle e Michael Sivak, da Universidade de Michigan, nos EUA, examinaram as preferências dos motoristas pela automação dos veículos, incluindo sua preocupação geral sobre estar em carros autônomos, ou de autocondução.

"Muitas vezes, os veículos autônomos geram discussões em relação à sua segurança em potencial, consumo de energia e benefícios ambientais. Outras vezes sobre os desafios técnicos existentes que devem ser superados para a sua implementação bem-sucedida", disse Schoettle. "No entanto, menos atenção tem sido dada ao considerar o nível real de automação que os motoristas desejam em seus veículos."

A dupla examinou 505 motoristas habilitados e constatou que cerca de 44% preferem manter o controle total durante a condução. Quase 16% preferem andar em um veículo com autocondução completa, enquanto quase 41% disseram que preferem um veículo com autocondução parcial, com controle ocasional do motorista.

De uma forma um tanto surpreendente, motoristas do sexo masculino e com menos de 45 anos foram os mais propensos a escolher veículos com autocondução parcial ou total.

Mulheres e motoristas com 45 anos ou mais são mais propensos a ter problemas com qualquer nível de automação.

Carros parcialmente autônomos

Enquanto cerca de dois terços dos entrevistados disseram que ficam pelo menos moderadamente preocupados em andar em veículos completamente autônomos, essa porcentagem cai para menos da metade para carros parcialmente autônomos.

Por exemplo, quase todos os entrevistados (96%) gostariam de ter volante e pedais de freio completamente disponíveis nos veículos autônomos.

Quanto aos veículos parcialmente autônomos, 59% dos entrevistados disseram que preferem uma combinação de três modos de alerta (sonoro, visual e de vibração) para notificar os motoristas quando devem retomar o controle do veículo. Cerca de 19% disseram que o som e efeitos visuais seriam suficientes.

Nível de automação dos carros

O estudo considerou três níveis de automação nos carros:

Completamente autônomos: o veículo irá controlar todas as funções críticas de segurança, até mesmo permitindo que o veículo viaje sem um passageiro, se necessário.

Parcialmente autônomos: o condutor será capaz de entregar o controle de todas as funções críticas de segurança para o veículo; o motorista terá controle ocasional do carro, se necessário.

Sem autocondução: o condutor estará sempre no controle completo de todas as funções de segurança, mas será assistido por várias tecnologias avançadas.





Outras notícias sobre:

Mais Temas