Eletrônica

Criado primeiro circuito integrado de nanotubos de carbono

Criado primeiro circuito integrado de nanotubos de carbono
A construção do circuito integrado de nanotubos usa uma técnica de filtração em fase gasosa, para separação dos nanotubos, e processos de transferência para sua aplicação no substrato plástico.[Imagem: Sun et al./Nature Nanotechnology]

Chip de nanotubo

Há 53 anos, quando apareceu o primeiro circuito integrado da história, quase ninguém acreditou na ideia.

Acreditava-se que sua construção seria complicada e cara demais. De fato, sua adoção em larga escala só aconteceu na década seguinte.

Agora, cientistas japoneses e finlandeses apresentaram o primeiro circuito integrado feito de nanotubos de carbono.

Tidos como promissores para uma infinidade de áreas, os nanotubos vêm enfrentando a concorrência do grafeno e, mais recentemente, da molibdenita.

Mas os anos de pesquisas à frente dos concorrentes parecem ter feito a diferença.

Circuito integrado flexível

Yutaka Ohno, da Universidade de Nagoia, e Esko Kauppinen, da Universidade de Aalto, desenvolveram uma técnica simples e rápida, segundo eles, para fabricar transistores de filme fino (TFT: thin film transistors) usando nanotubos de carbono.

Todo o circuito é montado sobre um substrato plástico flexível, seguindo a rota mais promissora da chamada eletrônica orgânica, que promete telas de enrolar e circuitos eletrônicos tão flexíveis que poderão ser montados em roupas.

Eles utilizaram a nova tecnologia para fabricar o primeiro circuito de lógica sequencial do mundo usando nanotubos de carbono.

Com a nova técnica, é possível vislumbrar o desenvolvimento de processos industriais de fabricação contínua no estilo das impressoras de rolo (roll-to-roll), em que os circuitos eletrônicos são literalmente impressos sobre plásticos flexíveis.

Bibliografia:

Flexible high-performance carbon nanotube integrated circuits
Dong-ming Sun, Marina Y. Timmermans, Ying Tian, Albert G. Nasibulin, Esko I. Kauppinen, Shigeru Kishimoto, Takashi Mizutani, Yutaka Ohno
Nature Nanotechnology
06 February 2011
Vol.: Published online
DOI: 10.1038/nnano.2011.1




Outras notícias sobre:

Mais Temas