Plantão

Como se formaram os polígonos no coração de Plutão?

Como se formaram os polígonos no coração de Plutão?
As formas poligonais são abauladas, sendo vários metros mais altas no centro do que nas bordas.[Imagem: NASA/JHU/SWRI]

Ondulações poligonais

A coração de Plutão, também conhecido como Planície Sputnik, localizada na parte equatorial do planeta-anão, é recoberta por uma capa de nitrogênio congelado recortada em curiosas formas poligonais com até 40 quilômetros de largura.

O centro de cada polígono pode ser vários metros mais alto que as bordas, o que vem desafiando os cientistas a explicar sua formação e composição.

Dois artigos publicados na revista Nature tentam levantar hipóteses.

Convecção

O primeiro artigo, do grupo liderado por William B. McKinnon, da Universidade de St. Louis, aponta que camadas sólidas de nitrogênio com quilômetros de espessura devem sofrer convecção nas condições atuais de Plutão, tal como medidas pela sonda New Horizons, da Nasa.

"Demonstramos numericamente que a reviravolta convectiva em camadas de nitrogênio sólido, com vários quilômetros de espessura, pode explicar a grande largura lateral" dos polígonos, diz o texto.

Convecção II

O segundo trabalho, de Alexander Trowbridge, da Universidade Purdue, reforça a tese de que é a convecção no interior das camadas de nitrogênio a causa dos polígonos, e não outro mecanismo, como a mera contração do gelo.

"O diâmetro dos polígonos da Planície Sputnik e as dimensões das 'montanhas flutuantes' (as colinas de água congelada ao longo das arestas dos polígonos) sugere que o gelo de nitrogênio tem cerca de dez quilômetros de espessura. A velocidade estimada de convecção é de 1,5 cm ao ano, e indica uma superfície de apenas um milhão de anos de idade", diz o artigo.

Com as hipóteses estruturadas, outras equipes poderão ajudar a verificá-las e buscar melhores fundamentações em outras imagens e dados coletados pelos instrumentos da sonda - ou encontrar explicações melhores.

Bibliografia:

Convection in a volatile nitrogen-ice-rich layer drives Pluto’s geological vigour
William B. McKinnon, Francis Nimmo, Teresa Wong, Paul M. Schenk, Oliver L. White, J. H. Roberts, J. M. Moore, J. R. Spencer, A. D. Howard, O. M. Umurhan, S. A. Stern, H. A. Weaver, C. B. Olkin, L. A. Young, K. E. Smith
Nature
Vol.: 534, 82-85
DOI: 10.1038/nature18289

Vigorous convection as the explanation for Pluto’s polygonal terrain
A. J. Trowbridge, H. J. Melosh, J. K. Steckloff, A. M. Freed
Nature Physics
Vol.: 534, 79-81
DOI: 10.1038/nature18016




Outras notícias sobre:

Mais Temas