Meio ambiente

Primeiro posto para abastecer carros elétricos é inaugurado em SP

Eletroposto para abastecer carros elétricos é inaugurado em SP
O posto para carros elétricos dispõe de "bombas" para recargas rápida e lenta. [Imagem: Francisco Emolo/Jornal da USP]

Complete a bateria

Foi inaugurado em São Paulo o primeiro posto de abastecimento de carros elétricos do país.

O projeto-piloto foi desenvolvido pelo Instituto de Eletrotécnica e Energia da USP, em parceria com várias empresas do ramo de energia.

A tecnologia permite a recarga de 80% de uma bateria em até 30 minutos, correspondendo a uma autonomia de cerca de 180 quilômetros rodados na cidade.

"Encher a bateria" tem hoje um custo médio de R$10,00.

O eletroposto conta também com dois carregadores de carga lenta, que levam entre seis e oito horas para a recarga total de uma bateria de lítio de até 24 quilowatts-hora (kWh).

Eletroposto experimental

O eletroposto é fruto de uma parceria iniciada há cerca de um ano, entre diversas empresas.

A iniciativa foi da empresa EDP, que contatou a USP para projetar cenários do impacto que a adoção dos carros elétricos no Brasil traria sobre a demanda de energia.

Uma frota experimental de táxis elétricos da Prefeitura de São Paulo, com dez veículos da marca Nissan, será abastecida diariamente no eletroposto, fornecendo dados essenciais ao projeto, como o consumo, eficiência e vida útil das baterias.

Eletroposto para abastecer carros elétricos é inaugurado em SP
Completar a bateria em carga rápida tem um custo de R$10,00. [Imagem: Francisco Emolo/Jornal da USP]

Adoção dos carros elétricos

Um levantamento preliminar da Faculdade de Economia e Administração da USP mostrou que a participação de mercado dos carros elétricos deverá variar entre 0,5% e 1,2% no Brasil em 2020.

Isso pode significar cerca de 500 mil carros elétricos, com base na frota atual de veículos.

Segundo o coordenador-geral do projeto, professor Paulo Roberto Feldmann, há projeções internacionais prevendo que os elétricos terão a mesma atratividade dos movidos a combustível líquido em 2030, de forma que poderiam atingir 50% da venda de automóveis novos.

Nesse horizonte, poderia haver uma sobrecarga na rede de distribuição em horários de pico, caso não sejam feitos cálculos sobre a capacidade de geração e distribuição de eletricidade, além de um estudo sobre hábitos dos usuários de veículos elétricos.

Recarregamento dos carros elétricos

Como ainda não há demanda no Brasil, os pesquisadores contarão com as frotas institucionais de veículo elétricos para fazer as primeiras avaliações.

Contudo, os efeitos reais só poderão ser mensurados quando a população começar a usar carros elétricos, e demonstrar seu padrão de uso, sobretudo da recarga das baterias.

Por enquanto, os técnicos avaliam que o o hábito de recarga das baterias dos carros poderia ser semelhante ao adotado com telefones celulares, com os usuários tendendo a recarregar a bateria do carro prioritariamente no final do dia, em casa, numa frequência diária ou a cada dois dias.

O levantamento propõe que o alto custo dos veículos elétricos e a falta de postos de recarga ainda são as principais barreiras à entrada desses veículos no mercado.

Na verdade, a tecnologia das baterias, quase estacionada há anos, é o principal entrave à baixa nos preços dos carros elétricos:





Outras notícias sobre:

Mais Temas