Nanotecnologia

Equipamento para nanotecnologia é lançado por empresa brasileira

Thiago Romero - Agência Fapesp - 18/11/2008

Equipamento para nanotecnologia é lançado por empresa brasileira

Um novo equipamento de uso laboratorial para a obtenção de óxidos de alta pureza em escala nanométrica acaba de ser lançado pela Nanox Tecnologia, empresa com sede em São Carlos (SP) especialista no desenvolvimento de materiais inteligentes por meio da síntese de óxidos e metais nanoestruturados.

A invenção, batizada de Nanox Hidrocell, vinha sendo desenvolvida desde 2005 pela empresa em parceria com pesquisadores do Centro Multidisciplinar para o Desenvolvimento de Materiais Cerâmicos (CMDMC), um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepid).

Óxidos nanométricos

Segundo Daniel Tamassia Minozzi, diretor de Operações da Nanox, os óxidos são uma importante classe química de minerais que compreendem um número enorme de compostos e têm uma ampla diversidade de aplicação.

"Os óxidos nanométricos são todos os óxidos que se inserem dentro da escala de medida de 1 a 100 nanômetros. Sua importância na área científica está no estudo de novas propriedades que não poderiam ser observadas em materiais com tamanhos maiores do que a escala nanométrica", disse à Agência FAPESP.

Os óxidos nanométricos, explica ele, apresentam uma vasta aplicação industrial, servindo, por exemplo, como matéria-prima para a produção de tintas e materiais cerâmicos, ou para a elaboração de compostos para microeletrônica e catalisadores.

Múltiplas aplicações

Os materiais de alta pureza gerados pelo equipamento também podem auxiliar na produção industrial de biocombustíveis e de polímeros, além de contribuir para a obtenção de materiais como sílicas utilizadas para o encapsulamento de fármacos.

"Na fabricação de polímeros, os óxidos nanométricos podem ser aplicados para obtenção de propriedades de resistências estruturais às radiações ultravioleta, por exemplo, sem alterar as propriedades do material", explicou.

Reator para nanopartículas

Para chegar a esses óxidos, o Nanox Hidrocell reúne dispositivos para o controle das variáveis do processo de obtenção de nanopartículas. Assim, diferentes simulações podem ser realizadas para que os pesquisadores encontrem os resultados mais satisfatórios em seus trabalhos.

"O equipamento é um reator microcontrolado que oferece versatilidade para a preparação de diversos tipos de compostos nanoestruturados que exijam algum controle de processo para sua obtenção", disse Minozzi, que tem graduação em química pela Universidade Federal de São Carlos e mestrado em ciência e tecnologia de materiais pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho.

Síntese hidrotérmica

A obtenção dos óxidos de alta pureza ocorre no equipamento pelo processo de síntese hidrotérmica. "Esse processo se caracteriza pelo controle das condições de contorno, que são as variáveis de temperatura e pressão. Devido a esse controle, os materiais sintetizados apresentam elevada pureza e alta reprodutibilidade", disse Minozzi.

Um dos principais diferenciais da tecnologia, segundo o pesquisador, está no formato do equipamento, cujo tamanho é reduzido, próprio para uso laboratorial, permitindo fazer vários ensaios com uma quantidade menor de reagentes químicos.

"O equipamento controla as principais variáveis do processo de obtenção dos óxidos nanométricos. Até hoje não conhecíamos um reator nacional formatado para pesquisa e desenvolvimento com os mesmos conceitos do Nanox Hidrocell", disse Minozzi. O equipamento conta ainda com dispositivos de segurança como sistemas de alarme de temperatura e pressão.

Reatores industriais

Além de estar dentro das normas técnicas específicas para reatores industriais, o produto conta com um sistema de coleta de dados em que o pesquisador pode acompanhar pelo computador o processo de obtenção dos óxidos e exportar os dados gerados para outros programas de gráficos e tabelas a fim de, por exemplo, escrever artigos e relatórios com base nos resultados.

Segundo Minozzi, a idéia da concepção do produto, desenvolvido em aço inoxidável, surgiu pela necessidade interna da Nanox Tecnologia em atender a uma demanda crescente de pesquisa e desenvolvimento dos materiais nanométricos.

"Até então, equipamentos com esse nível de sofisticação eram importados e não chegavam ao Brasil com um custo adequado para os laboratórios. Além disso, os pesquisadores tinham uma série de desconfortos em relação à manutenção e peças", afirmou.

Revestimento antimicrobiano

Criada em janeiro de 2005, a Nanox Tecnologia é uma empresa de nanotecnologia que produz e desenvolve soluções com materiais inteligentes de propriedades especiais e funções inovadoras.

A empresa já lançou um secador de cabelos com capacidade antimicrobiana o desenvolveu o material utilizado na fabricação de um bisturi autolimpante.

Outras notícias sobre:

Mais Temas