Espaço

Falha primeira busca por sinais alienígenas em estrela piscante

Falha primeira busca por sinais alienígenas em estrela piscante
A matriz de telescópios Allen, do Instituto SETI, é composta por 42 antenas, cada uma com 6 metros de diâmetro. [Imagem: Seth Shostak/SETI Institute]

Aliens superpoderosos

No mês passado, o anúncio da descoberta, pelo telescópio espacial Kepler, de uma estrela com brilho incomum animou as equipes que buscam por vida alienígena inteligente.

A estrela, chamada KIC 8462852, tem o estranho hábito de diminuir a intensidade do seu brilho em intervalos irregulares - alterações aperiódicas que podem chegar a 20% da sua luz.

Embora várias explicações naturais para essa forte mudança na luminosidade tenham sido aventadas, todas as hipóteses têm fragilidades. Sobressaiu-se então a possibilidade de que uma civilização tecnologicamente avançada poderia gerar sinais similares, produzidos por megaestruturas em órbita em torno da estrela, causando seu escurecimento temporário.

Será que haveria vida inteligente no sistema da estrela KIC 8462852?

"A história da astronomia nos diz que todas as vezes que pensávamos que tínhamos encontrado um fenômeno devido à atividade de extraterrestres, estávamos errados," observa o astrônomo Seth Shostak, do Instituto SETI, a maior organização em busca de sinais de alienígenas inteligentes. "Mas, embora seja muito provável que este comportamento estranho da estrela seja devido à natureza, e não a alienígenas, é prudente verificar essas coisas."

Rádios alienígenas

A fim de investigar a possibilidade das obras de uma civilização avançada estar causando o comportamento incomum da estrela, o Instituto SETI voltou seu conjunto de telescópios Allen para a estrela por mais de duas semanas - a matriz Allen é composta por 42 antenas, cada uma com 6 metros de diâmetro.

Foram procurados dois tipos de sinais de rádio:

  1. Sinais de banda estreita, da ordem de 1 Hz de largura, eventualmente gerados como um "sinal de saudação" por sociedades que desejam anunciar sua presença. Este é o tipo de sinal mais frequentemente procurado pelos radiotelescópios do SETI.
  2. Sinais de banda larga que poderiam ser gerados por feixes de propulsão. Se houvesse projetos de astroengenharia nas imediações da KIC 8462852, pode-se razoavelmente esperar a presença de naves espaciais de serviço. Se estas naves forem impulsionadas por feixes de micro-ondas, uma parte da energia poderia se manifestar como "vazamento" de rádio de banda larga.

Como Shostak previa, a análise dos dados não mostrou nenhum indício claro para qualquer tipo de sinal entre as frequências de 1 e 10 GHz.

Isto exclui transmissores omnidirecionais com aproximadamente 100 vezes a energia terrestre total gerada hoje, no caso dos sinais de banda estreita, e dez milhões de vezes para as emissões de banda larga.

O Instituto SETI afirma que as observações do sistema continuarão, em busca de algum sinal de emissões de rádio deliberadamente produzidas no sistema da estrela KIC 8462852.

Bibliografia:

Radio SETI Observations of the Anomalous Star KIC 8462852
G. R. Harp, Jon Richards, Seth Shostak, J. C. Tarter, Douglas A. Vakoch, Chris Munson
arXiv
http://arxiv.org/abs/1511.01606




Outras notícias sobre:

Mais Temas