Plantão

Hubble fotografa bolha espacial

Hubble fotografa bolha espacial
Apesar da aparência delicada e suave, flutuando serenamente no espaço, a bolha guarda em seu interior um ambiente de grande agitação.[Imagem: NASA/ESA/Hubble Heritage Team (STScI/AURA)]

Bolha espacial

Há alguns anos, dois grupos de astrônomos resolveram olhar ao mesmo tempo para o mesmo lugar no céu, e descobriram uma inusitada bolha de sabão cósmica.

Agora o ocupado Hubble teve tempo de virar suas lentes para aquele ponto específico, situado em nossa galáxia vizinha, a Grande Nuvem de Magalhães.

Os astrônomos acreditam que a bolha espacial formou-se a partir da explosão de uma supernova, ocorrida há quatro séculos. Seu nome é SNR B0509-67.5, mas ela também atende pelo diminutivo SNR 0509.

Apesar da aparência delicada e suave, flutuando serenamente no espaço, a bolha espacial guarda em seu interior um ambiente de grande agitação, onde remanescentes da explosão inicial a fazem crescer a mais de 18 milhões de quilômetros por hora - a SNR 0509 já tem 23 anos-luz de diâmetro.

As ondulações vistas na superfície externa da bolha podem ser causadas por variações sutis na densidade do gás ambiente interestelar, ou, eventualmente, serem geradas do interior por fragmentos da explosão inicial.

Supernova Tipo Ia

Os astrônomos concluíram que a explosão foi um exemplo de uma variedade especialmente energética e brilhante de uma supernova, conhecida como Tipo Ia.

Eles acreditam que essas supernovas são geradas quando uma estrela anã branca, em um sistema binário, rouba mais material de sua parceira do que consegue suportar e explode.

No caso da bolha espacial, a explosão parece ter ocorrido há cerca de 400 anos. Outro exemplo bem mais recente desses acontecimentos colossais é a supernova 1987A.





Outras notícias sobre:

Mais Temas