Informática

Impressão de telas flexíveis por jato de tinta próximo das fábricas

Impressão de telas flexíveis por jato de tinta próximo das fábricas
Protótipo da tela flexível sensível ao toque. [Imagem: Gabi Klein/INM]

Telas flexíveis baratas

A tecnologia das telas flexíveis está batendo às portas da indústria, o que talvez tire os monitores e celulares flexíveis e dobráveis do horizonte da tecnologia e os coloque nas prateleiras, bem ao alcance dos consumidores.

A Feira de Tecnologia de Hannover deste ano esteve repleta de demonstrações de processos industriais que poderão viabilizar a fabricação de circuitos e telas inteiras por impressão, alguns deles no rápido e barato sistema rolo a rolo.

Engenheiros do Instituto Leibniz de Novos Materiais, por exemplo, apresentaram um sistema de fabricação de telas sobre folhas plásticas usando tintas compostas por nanopartículas semicondutoras. Estas tintas são compostas predominantemente por óxidos transparentes e condutores e são adequadas para um processo de impressão de um só passo, o que elimina os problemas de imprecisão da aplicação de camadas sucessivas.

Desta forma, linhas e padrões transparentes são obtidos por impressão a jato de tinta ou, alternativamente, por impressão de gravura direta, viabilizando um processo de baixo custo. De acordo com a equipe, todos os circuitos mantêm sua funcionalidade não apenas se enrolados, mas também se dobrados.

"A condutividade é mantida mesmo quando as películas são dobradas. Usando um padrão especial de eletrodos, podem ser impressos sensores capacitivos de telas sensíveis ao toque, de alta sensibilidade e resolução, em um processo simples," explicou Peter William de Oliveira, líder da equipe que desenvolveu a tecnologia.

Impressão de telas flexíveis por jato de tinta próximo das fábricas
Rígidos ou flexíveis, os circuitos eletrônicos continuam precisando de fiações. [Imagem: Gabi Klein/INM]

Fiação flexível

Outra tecnologia apresentada às indústrias foi a metalização fotoquímica aplicada aos polímeros flexíveis que servirão como substrato para as telas de enrolar e dobrar.

Para que os circuitos eletrônicos possam ser totalmente flexíveis ou possam ser acoplados a telas flexíveis, é necessário prover a fiação adequada entre as diversas partes do aparelho - é algo como a tampa do seu notebook sendo aberta e fechada sem que os fios se rompam, só que levado ao extremo.

A solução encontrada foi imprimir rotas microscópicas de fiação feitas de nanopartículas de óxido de prata. Depois de aplicado na forma de uma tinta, o composto de prata se desintegra sobre uma camada adicional de material fotoativo sob irradiação UV. Isto faz com que os íons de prata sejam reduzidos para formar prata metálica, que passa a constituir os condutores.

De acordo com a equipe, o processo é "rápido, flexível, ambientalmente correto e permite a fabricação de circuitos de qualquer tamanho".





Outras notícias sobre:

Mais Temas