Informática

Interface subvocal permite falar e ouvir em silêncio

Interface subvocal transcreve palavras que você
O aparelho permite ouvir e falar sem que ninguém ao redor ouça qualquer som. [Imagem: Lorrie Lejeune/MIT]

Vibrações do silêncio

Esta interface de computador consegue transcrever palavras que o usuário apenas verbaliza, ou subvocaliza, não chegando a falar em voz alta.

O objetivo é dar privacidade aos usuários sem os problemas técnicos das interfaces neurais.

"A motivação para isso foi construir um dispositivo de inteligência artificial - um dispositivo de aumento de inteligência," disse Arnav Kapur, do MIT, nos EUA. "Nossa ideia era: Será que poderíamos ter uma plataforma de computação mais interna, que fundisse humanos e máquinas de alguma forma e que parecesse uma extensão interna da nossa própria cognição?"

Devaneios à parte, eletrodos captam sinais neuromusculares na mandíbula e no rosto que são acionados por verbalizações internas - falar as palavras "na sua cabeça", sem produzir movimentos faciais detectáveis pelo olho humano.

Os sinais são enviados a um sistema de aprendizado de máquina que foi treinado para correlacionar sinais específicos com palavras específicas.

Fones ósseos

O dispositivo não serve apenas para falar, mas também para ouvir, incluindo um par de fones de ouvido de condução óssea, que transmitem vibrações através dos ossos da face até o ouvido interno. Como o fone não obstrui o canal auditivo, ele permite que o sistema transmita informações ao usuário sem interromper conversações ou interferir na experiência auditiva.

Em um dos experimentos, os voluntários usaram o sistema para relatar silenciosamente os movimentos dos oponentes em um jogo de xadrez e, da mesma forma, silenciosamente receber respostas recomendadas por computador. Mas as aplicações não se restringem a trapaças. De forma geral, defende Kapur, esse sistema de "computação silenciosa" permite fazer perguntas e receber respostas sem que as pessoas no ambiente percebam, o que pode ser útil em ambientes de trabalho.

Os pesquisadores escreveram um programa para analisar os dados coletados pelo aparelho e descobriram que os sinais de eletrodos colocados em sete locais específicos da cabeça são consistentemente capazes de distinguir palavras subvocalizadas.

Mas, de forma a produzir um equipamento de vestir menos intrusivo, eles estão obtendo resultados comparáveis usando apenas quatro eletrodos ao longo da mandíbula.

Bibliografia:

AlterEgo: A Personalized Wearable Silent Speech Interface
Arnav Kapur, Shreyas Kapur, Pattie Maes
Proceedings of 23rd International Conference on Intelligent User Interfaces (IUI 2018)
Vol.: 1, pp 43-53




Outras notícias sobre:

Mais Temas