Plantão

Linhas escuras em Marte podem ser causadas pelo Sol

Linhas escuras em Marte podem ser causadas pelo Sol
Uma paisagem seca e dezenas de graus abaixo de zero: Foi aí que a NASA conseguiu ver indícios de água líquida em Marte.[Imagem: NASA/JPL/University of Arizona]

"Notável"

Em setembro de 2015, a NASA fez um grande estardalhaço para anunciar uma "descoberta notável": Marte poderia ter correntes de água salgada que deslizavam por suas encostas durante o verão.

Em seu site, a agência ainda estampa a notícia "NASA confirma evidência de que água líquida flui [no planeta] Marte atual".

Tão logo se cogitou que as linhas escuras registradas pelo robô Curiosity em Marte poderiam representar água em estado líquido surgiram especulações sobre a possibilidade de vida microbiana no planeta e de que finalmente havia sido descoberta a água que poderia suprir as necessidades dos futuros exploradores.

Em setembro do ano passado, o trajeto do robô chegou a ser alterado para não contaminar as águas de Marte.

Sem água

Agora, entretanto, outros cientistas afirmam que as misteriosas linhas negras podem ser, na verdade, avalanches de areia provocadas pelo efeito da luz solar na superfície marciana.

De acordo com a revista New Scientist, estes cientistas afirmam que a atmosfera de Marte não é suficientemente úmida para considerar que a formação de linhas pudesse decorrer da condensação de água.

"Esses fenômenos acontecem nas horas mais quentes onde há temperatura mais elevada. Por isso, uma parte do cérebro diz que deveria ser gelo derretendo", disse Sylvain Piqueux.

Mas ele mesmo admite que trata-se de algo pouco provável em Marte. "O problema é que é muito difícil gelo derreter em Marte. É mais fácil que o gelo se transforme diretamente em vapor d'água", assinala Piqueux.

As linhas escuras foram observadas em vários lugares do Planeta Vermelho quando as temperaturas estavam em torno de -23ºC.

Avalanches causadas pelo Sol

Na ausência de uma explicação que envolva água, Frédéric Schmidt, da Universidade do Sul de Paris, na França, propôs, em parceria com outros pesquisadores, um modelo alternativo.

Frédéric Schmidt defende que pode-se tratar de um processo ligado a variações climáticas sazonais.

As avalanches de areia poderiam ser causadas pelo Sol. Segundo esse modelo, quando os raios solares tocam a areia, o calor esquenta a superfície enquanto a parte inferior permanece fria. Essa diferença de temperatura provocaria mudança de pressão do gás em torno das partículas de areia. Esse gás subiria, fazendo com que haja deslocamento de areia e solo provocando, assim, deslizamento nas encostas marcianas.

Se essa teoria for comprovada, ou seja, se for rejeitada a hipótese de que as linhas escuras são "água líquida", o entusiasmo com a possibilidade de encontrar organismos vivos em Marte volta à estaca zero.

Bibliografia:

Formation of recurring slope lineae on Mars by rarefied gas-triggered granular flows
Frédéric Schmidt, François Andrieu, François Costard, Miroslav Kocifaj, Alina G. Meresescu
Nature Geoscience
DOI: 10.1038/ngeo2917




Outras notícias sobre:

Mais Temas