Materiais Avançados

Máquina de café expresso faz química complexa a baixo custo

Máquina de café expresso vira equipamento de laboratório químico
Uma das máquinas de café expresso mais simples disponíveis tornou-se um instrumento de análise química comparável aos mais caros aparelhos disponíveis. [Imagem: Sergio Armenta et al. - 10.1021/acs.analchem.6b01400]

Máquina de café no laboratório

Para felicidade dos químicos, Sergio Armenta, da Universidade de Valência, na Espanha, demonstrou que as máquinas de café expresso devem se tornar instrumentos obrigatórios nos laboratórios científicos.

Mas não é exatamente o que se poderia esperar: em vez de suprir o gosto por cafeína dos químicos, a máquina de café expresso deverá se tornar um instrumento de pesquisa.

Armenta descobriu que essas máquinas permitem realizar experimentos químicos complexos de forma muito mais rápida e a um custo desprezível em relação aos instrumentos tradicionalmente utilizados.

Um desses experimentos envolve avaliar a presença de compostos químicos danosos para o ambiente, conhecidos como hidrocarbonetos aromáticos policíclicos (HAPs), uma classe de compostos orgânicos cancerígenos produzidos pela combustão incompleta de materiais em incêndios florestais, fábricas e incineradores de resíduos, entre outros.

Análise expressa

Para determinar os níveis de HAPs em solos e sedimentos, é necessário extrair os compostos de uma amostra, algo que pode levar até 16 horas e requer grandes quantidades de solventes igualmente nada amigáveis ao meio ambiente. Técnicas mais recentes usam menos solventes, mas exigem altas temperaturas e equipamentos de laboratório mais caros.

Armenta trocou o pó de café pela amostra, colocando-a na máquina de café expresso acrescida de uma pequena quantidade de solvente orgânico. O vapor de água passa pelo solo da amostra e extrai os hidrocarbonetos aromáticos policíclicos em uma única "coada".

Do começo ao fim, o processo leva apenas 11 segundos. Os resultados obtidos com a máquina de café expresso foram comparáveis àqueles obtidos com as técnicas certificadas, com a vantagem de que o novo processo foi significativamente mais barato e mais rápido.

A equipe está trabalhando agora para ver se as máquinas de café podem também extrair e analisar pesticidas, produtos farmacêuticos e detergentes em amostras ambientais e de alimentos.

Bibliografia:

Hard Cap Espresso Machines in Analytical Chemistry: What Else?
Sergio Armenta, Miguel de la Guardia, Francesc A. Esteve-Turrillas
Analytical Chemistry
Vol.: Article ASAP
DOI: 10.1021/acs.analchem.6b01400




Outras notícias sobre:

Mais Temas