Informática

Morte do CD é decretada por codec HD-AAC, que comprime música sem perda de dados

Morte do CD é decretada por codec HD-AAC, que comprime música sem perda de dados

O Instituto Fraunhofer, da Alemanha, criador do formato MP3, acaba de anunciar a morte do CD. O instituto lançou nesta semana um novo formato para codificação de música digital chamado HD-AAC, que preserva a qualidade do original sem perdas.

Morte do CD

O HD-AAC oferece compressão de 24 bits com amostragem de 96 kHz. Os CDs atuais são gravados com compressão de 16 bits e qualidade de 44,1 kHz. Ou seja, o novo formato tem qualidade de som significativamente melhor do que o CD. Daí a decretação da morte do CD, que já vinha sendo ameaçado pelo MP3.

O novo codec HD-AAC é derivado do padrão MPEG-4 SLS ("Scalable to Lossless"), sendo também compatível com os tocadores de música portáteis, como o iPod e assemelhados.

Codec HD-AAC

"Os consumidores poderão comprar conteúdo em lojas online de música com som melhor do que os CDs, e preservar sua coleção atual de CDs para o futuro codificando-a em HD-AAC," disse Harald Popp, coordenador do Departamento de Sistemas Multimídia em Tempo Real do Instituto Fraunhofer.

Compressão sem perda

Músicas codificadas no padrão HD-AAC poderão ser tocadas diretamente em tocadores de MP3 e até em telefones celulares que possuam o codec. O processo de codificação preserva cada bit de informação contido no arquivo original não comprimido, resultando na chamada codificação sem perda.

Segundo Popp, o codec HD-AAC já está disponível para PC e dispositivos integrados, incluindo microprocessadores ou processadores de sinais digitais (DSPs) da ARM, MIPS, Texas, Analog Devices, Intel e IBM.





Outras notícias sobre:

Mais Temas