Robótica

Como controlar drones e robôs sem controle remoto

Movendo drones e robôs com acenos de mão
O drone é movido sem controle remoto: o segredo está na pulseira. [Imagem: Empa]

Drones sem controle remoto

Mover robôs e drones apenas mexendo as mãos - sem precisar de um controle remoto - já não é mais um sonho distante.

Isto graças a um sensor feito de fibras piezorresistivas integradas em uma pulseira, capaz de detectar os movimentos do pulso e da mão e convertê-los em sinais elétricos.

Esses sinais elétricos são tratados por um aparelho em formato de relógio, que então transmite os sinais adequados para dirigir o drone ou robô.

Esta tecnologia está sendo desenvolvida por Frank Clemens e Mark Melnykowycz, dos Laboratórios Empa, na Suíça.

Na demonstração, Clemens faz com a mão uma onda para a esquerda e o drone se move para a esquerda; uma onda à direita e o drone vira à direita; ele fecha a mão e o pequeno quadricóptero pousa suavemente sobre a mesa.

Isso significa que os robôs e outros equipamentos poderão ser movidos com movimentos muito simples e discretos - um simples mover de um dedo, por exemplo.

Movendo drones e robôs com acenos de mão
Este é o sensor piezoelétrico, responsável pelo controle do aparelho com as mãos. [Imagem: Empa]

Movimentos naturais

Embora sensores de movimento não sejam nenhuma novidade, até agora os movimentos vêm sendo registrados principalmente usando sensores visuais (câmeras), acelerômetros e giroscópios. Eles funcionam bem, mas ainda há uma deficiência na resolução, ou seja, são necessários movimentos grandes e claros dentro de um intervalo de velocidade bem definido, o que, em geral, não é algo natural para os seres humanos.

O novo sensor, por outro lado, responde aos movimentos naturais mais minúsculos.

Ainda assim, a equipe não pretende substituir de todo as tecnologias anteriores. "É preciso uma combinação de diferentes sensores para desenvolver novos conceitos. Só então podemos detectar e usar movimentos que não eram detectáveis com tecnologias anteriores," disse Clemens.

A combinação de sensores de aceleração, rotação e orientação com o novo sensor de fibra piezoelétrica facilitaria novos comandos para controlar não apenas drones e robôs, mas também dispositivos do dia a dia, como o portão da garagem.





Outras notícias sobre:

Mais Temas