Energia

Nanogerador usa movimento humano para alimentar tela e LEDs

Nanogerador flexível captura energia do movimento humano
É um dos primeiros nanogeradores a produzir eletricidade com uma potência útil para alimentar aparelhos de verdade. [Imagem: Wei Li et al. - 10.1016/j.nanoen.2016.10.007]

Energia pelo movimento

Há algum tempo os nanogeradores - dispositivos capazes de gerar eletricidade a partir de coisas como o andar, a respiração, os batimentos cardíacos, ou mesmo as vibrações e o som do ambiente - vêm prometendo dar um alívio para as baterias dos aparelhos portáteis.

Parece que eles finalmente estão chegando lá.

O protótipo mais recente já consegue alimentar uma tela de LCD, um banco de 20 LEDs e até um teclado flexível, tudo dependendo apenas de um movimento simples de toque ou pressão - no caso do teclado, por exemplo, o próprio movimento de apertar as teclas gera a eletricidade para o funcionamento do dispositivo.

"Nós estamos no caminho certo rumo a aparelhos de vestir alimentados pelo movimento humano. O que eu prevejo, relativamente para breve, é você não ter que recarregar seu celular por uma semana inteira, por exemplo, porque a energia será produzida pelo seu movimento," disse o professor Nelson Sepúlveda, da Universidade Estadual de Michigan, nos EUA.

Nanogerador biocompatível

O nanogerador construído por Sepúlveda e seus alunos tem a forma de um filme, uma película muito fina, que pode ser dobrada para aumentar a potência gerada.

O processo começa com folhas finas de silicone, cada uma recebendo a adição de substâncias diferentes (prata, poliimida e polipropileno ferroeletreto). São adicionados íons a cada folha, de modo que cada uma contenha partículas carregadas. Todas elas são empilhadas, cada uma tornando-se uma camada do nanogerador.

A energia elétrica é produzida quando o nanogerador é comprimido por uma força mecânica qualquer, como o movimento do corpo humano.

Biocompatível

Este nanogerador se insere na classe dos FENGs (Ferroelectret Nanogenerator), nanogeradores feitos de materiais biocompatíveis, o que os deixa prontos para entrar em contato com o corpo humano sem risco de contaminação.

Além de produzir eletricidade com potência suficiente para alimentar aparelhos práticos, o nanogerador flexível também é um dos mais baratos já fabricados, de acordo com a equipe.

Bibliografia:

Flexible and biocompatible polypropylene ferroelectret nanogenerator (FENG): On the path toward wearable devices powered by human motion
Wei Li, David Torres, Tongyu Wang, Chuan Wang, Nelson Sepúlveda
Nano Energy
Vol.: 30, December 2016, Pages 649-657
DOI: 10.1016/j.nanoen.2016.10.007




Outras notícias sobre:

Mais Temas