Nanotecnologia

Nanotecnologia começa a encolher os laboratórios

Nanotecnologia começa a encolher os laboratórios
A técnica de acustoforese funciona com gotículas, células e até moléculas de DNA. [Imagem: ETH Zurich/Ivo Leibacher]

Microlaboratórios

Na onda de um avanço tecnológico contínuo, os engenheiros estão querendo encolher não apenas os dispositivos que fabricam, mas também os próprios laboratórios.

Como a maior parte dos laboratórios - de química, biologia, ciências médicas etc. - trabalha com a manipulação de materiais líquidos, a ideia é colocar o laboratório inteiro dentro de um chip, criando microlaboratórios.

Essa tecnologia, conhecida como microfluídica, envolve lidar com quantidades muito pequenas de reagentes, o que facilita o trabalho, diminui os custos, aumenta a eficiência das reações, permite detectar moléculas com maior precisão, permite trabalhar com células individuais etc. etc. - o produto mais conhecido da microfluídica são os biochips.

O grande desafio é fazer essas micro - e até nanogotas - percorrerem os canais de forma precisa, contínua e confiável.

Agora, pesquisadores da Escola Politécnica de Zurique (ETH), na Suíça, desenvolveram uma técnica que utiliza ondas sonoras para fazer isso, movendo, misturando e até colocando as microgotas em ordem.

A técnica também funciona com células individuais e com moléculas de DNA.

Acustoforese

A técnica é chamada acustoforese, e se baseia no uso de ondas ultrassônicas estacionárias para mover gotas de 50 a 250 micrômetros através de um carreador líquido.

O mais interessante é que as gotas não se misturam com o meio líquido que serve de transportador. "Nesta escala, as gotas são muito estáveis porque elas são mantidas coesas pela tensão superficial," explica o professor Ivo Leibacher.

Quando as ondas ultrassônicas estacionárias são aplicadas no chip, as gotículas movem-se na crista da onda, o que não destrói as gotículas e não causa danos às células sendo manipuladas.

"Esperamos que esta tecnologia torne-se uma parte valiosa dos equipamentos de laboratório, permitindo experimentos com alto rendimento com um custo mínimo," disse Leibacher.

Bibliografia:

Microfluidic droplet handling by bulk acoustic wave (BAW) acoustophoresis
Ivo Leibacher, Peter Reichert, Jürg Dual
Lab on a Chip
Vol.: 15, 2896-2905
DOI: 10.1039/C5LC00083A




Outras notícias sobre:

Mais Temas