Informática

NASA e Google usarão computador quântico em inteligência artificial

NASA e Google usarão computador quântico em inteligência artificial
O processador quântico do computador D-Wave fica instalado na base de uma pequena torre criogênica.[Imagem: D-Wave]

O Google anunciou uma parceria com a Universities Space Research Association (USRA), uma corporação associada à NASA, para o estabelecimento de um laboratório de estudos de inteligência artificial usando computadores quânticos.

O computador escolhido para servir de base para o laboratório é o D-Wave, um equipamento canadense que, em testes recentes, se mostrou 3,6 mil vezes mais veloz que um computador clássico.

De acordo com nota publicada no blog de pesquisas do Google, a principal área de estudo do laboratório, instalado no Centro de Pesquisas Ames da NASA, será a aprendizagem de máquina, que trata da "construção de melhores modelos do mundo, para a realização de previsões mais precisas".

Problemas quanticamente solúveis

Entre os exemplos de áreas que podem se beneficiar do estudo da aprendizagem de máquina no computador quântico, a empresa cita a modelagem do clima, a medicina e, também, as buscas na internet.

O computador quântico D-Wave opera por um processo chamado "recozimento" (annealing), no qual a máquina realiza uma busca pela melhor solução possível para um problema, representada pelo estado de menor energia de seus bits.

Esse comportamento dos qubits pode ser usado para simular problemas virtualmente insolúveis para os computadores clássicos, como encontrar o vale mais profundo em uma área montanhosa, ou a rota mais eficiente para percorrer um grande número de cidades, o clássico "problema do caixeiro viajante".

Confrontados com um problema desse tipo, computadores clássicos teriam de percorrer toda a paisagem até encontrar o ponto mais baixo, ou traçar todas as rotas possíveis do vendedor, uma a uma, num processo de longa duração.

Ao formular o problema em termos de energia, o D-Wave usa as propriedades da mecânica quântica para encontrar rapidamente o estado menos energético, que representa a solução ótima.

O Google, que já havia anunciado em 2009 que pretendia usar um computador quântico, afirma que já tem alguns algoritmos de aprendizagem de máquina prontos para rodar no computador quântico.

Um deles pode ser usado para reconhecer informação rapidamente, poupando tempo e energia em dispositivos móveis, como tablets ou celulares; o outro é capaz de organizar "dados altamente poluídos" - informação ruim classificada de modo errado.

Os melhores resultados, de acordo com a companhia, vêm do uso conjugado de máquinas quânticas e convencionais.

Uso científico do computador quântico

A USRA, parceira do Google na empreitada, é uma corporação sem fins lucrativos que coopera com a NASA.

Pesquisadores de outras instituições também serão convidados a usar o laboratório.

A USRA vai administrar as operações científicas da colaboração, e 20% do tempo de uso do computador será destinado gratuitamente a universidades, por meio de um processo seletivo.

Segundo o jornal The New York Times, neste ano a D-Wave já havia vendido um de seus computadores quânticos para a empresa aeroespacial Lockheed Martin.





Outras notícias sobre:

Mais Temas