Espaço

Telescópio virtual faz observação astronômica mais precisa até hoje

Telescópio virtual faz observação astronômica mais precisa até hoje
Esta é uma impressão artística do quasar 3C 279. Os quasares são centros muito brilhantes de galáxias longínquas, alimentados por buracos negros de elevada massa. Este quasar contém um buraco negro com uma massa de cerca de um bilhão de vezes a do Sol e encontra-se a mais de 5 bilhões de anos-luz de distância.[Imagem: ESO/M. Kornmesser]

Quasar

Uma equipe internacional de astrônomos observou o coração de um quasar distante com uma precisão sem precedentes.

Mais especificamente, com uma resolução dois milhões de vezes melhor que a da visão humana.

As observações foram obtidas com a interconexão do telescópio Atacama Pathfinder Experiment (APEX), no Chile, Submillimeter Array (SMA), no Havaí, e o Submillimeter Telescope (SMT), no Arizona (EUA).

Este foi um passo crucial em direção ao objetivo científico do projeto "Telescópio de Horizonte de Eventos": obter imagens de buracos negros de grande massa situados no centro da Via Láctea e de outras galáxias.

Com a criação do telescópio virtual, os astrônomos conseguiram fazer a observação direta mais precisa até hoje do centro de uma galáxia distante, o quasar brilhante 3C 279, que contém um buraco negro de elevada massa - cerca de um bilhão de vezes a do Sol.

Interferometria

Os telescópios foram interligados usando a técnica conhecida como Interferometria de Linha de Base Muito Longa (VLBI, sigla do inglês Very Long Baseline Interferometry).

Telescópios maiores obtêm observações mais precisas, e a interferometria permite que vários telescópios trabalhem como um só, tão grande quanto a separação - ou distância - entre eles. Quanto maior for a distância entre os telescópios, maior é a precisão alcançada.

Ligar o APEX, no Chile, à rede foi crucial, já que este telescópio contribuiu com as maiores distâncias - 9.447 km do Chile ao Havaí, 7.174 km do Chile ao Arizona e 4.627 km do Arizona ao Havaí.

As observações foram feitas em ondas de rádio, em um comprimento de onda de 1,3 milímetros. Esta é a primeira vez que observações em um comprimento de onda tão curto foram feitas utilizando distâncias tão grandes.

Telescópio virtual faz observação astronômica mais precisa até hoje
Os telescópios foram ligados usando uma técnica chamada Interferometria de Linha de Base Muito Longa (VLBI, sigla do inglês Very Long Baseline Interferometry). Telescópios maiores obtêm observações mais precisas e a interferometria permite que vários telescópios trabalhem como um só, tão grande quanto a distância entre eles. [Imagem: ESO/L. Calçada]

Precisão astronômica

As observações atingiram uma precisão, ou resolução angular, de 28 microssegundos de arco - valor 8 bilhões de vezes menor que um grau angular.

Com este valor é possível distinguir detalhes dois milhões de vezes mais precisos do que o conseguido pelo olho humano.

As observações foram tão precisas que se observaram escalas menores que um ano-luz ao longo do quasar - o que é um feito extraordinário tendo em conta que o objeto que se encontra a vários bilhões de anos-luz de distância.

Estas observações representam um passo importante no sentido de obter imagens de buracos negros de elevada massa e das regiões que os rodeiam.

Horizonte de Eventos

O próximo objetivo é criar o chamado Telescópio de Horizonte de Eventos.

O Telescópio de Horizonte de Eventos será capaz de obter imagens da sombra do buraco negro no centro da nossa Via Láctea, assim como de outros buracos negros situados em outras galáxias próximas.

A sombra - uma região escura vista em contraste com um fundo mais brilhante - é causada pela curvatura da luz devido ao buraco negro.

Se realmente observada, esta seria a primeira evidência observacional direta da existência do horizonte de eventos de um buraco negro, a fronteira a partir da qual nem mesmo a luz consegue escapar.

Ainda há muitas controvérsias entre os cientistas em relação aos buracos negros:





Outras notícias sobre:

Mais Temas