Espaço

Cálculos indicam órbita do nono planeta do Sistema Solar

Cálculos indicam órbita do nono planeta do Sistema Solar
Simulação de computador mostrando como seria um planeta com 10 vezes a massa da Terra e muito distante do Sol.[Imagem: R.Hurt/Caltech]

Planeta X

Os indícios da existência de um Planeta X nos confins do Sistema Solar, prevista por Percival Lowell em 1905, vêm-se acumulando rapidamente.

A NASA vem procurando pelo Planeta X há tempos, mas ainda sem sucesso.

A descoberta do planeta anão VP113, em 2012, apresentou à comunidade astronômica um corpo celeste com uma órbita que só poderia ser explicada com a presença de um outro planeta gigante, então calculado com 10 vezes da massa da Terra - exatamente a mesma massa calculada por Lowell há mais de um século.

O entusiasmo aumentou há cerca de um mês, quando duas equipes, trabalhando independentemente, flagraram dois grandes corpos celestes ainda desconhecidos, que continuam sendo analisados. É que é difícil detectar um planeta a essa distância porque, longe de nossa estrela, sua luminosidade é muito baixa - ou seja, existe há possibilidade de que o Planeta X já tenha sido visualizado.

Cálculos da órbita do Planeta X

Em 2014, dois astrônomos espanhóis já haviam estudado mais a fundo a órbita do VP113 e de outros corpos transnetunianos e, por meio de uma simulação em computador, calcularam que deve existir não apenas um Planeta X, mas também um Planeta Y.

Agora, dois pesquisadores do Instituto de Tecnologia da Califórnia, nos EUA, rodaram outra simulação e chegaram à mesma conclusão que Lowell e que a equipe do VP113, com os resultados indicando a existência de um Planeta X, exatamente com 10 vezes a massa da Terra, que seria capaz de explicar a estranha órbita dos objetos transnetunianos já conhecidos.

Talvez para tentar valorizar o próprio trabalho, eles propuseram rebatizar o Planeta X de Planeta Nove.

Cálculos indicam órbita do nono planeta do Sistema Solar
Provável órbita do Planeta Nove, conforme proposto pela nova simulação. [Imagem: Batygin/Brown - 10.3847/0004-6256/151/2/22]

Planeta Nove

Pelos cálculos da dupla, esse planeta ainda não descoberto do Sistema Solar deve ter uma órbita elíptica muito alongada em torno do Sol. Os dados ainda são escassos, por isso os resultados apontam para um Planeta X, ou Nove, com um ano com duração entre 10.000 e 20.000 anos terrestres.

O máximo que ele poderia se aproximar do Sol seria 200 unidades astronômicas (ua), que equivalem à distância da Terra ao Sol - isso o colocaria, em seu momento de maior aproximação de nossa estrela, bem além de Plutão, na faixa de pequenos objetos conhecidos como Cinturão de Kuiper, onde está o astro conhecido mais distante do Sistema Solar, provavelmente um planeta anão, chamado provisoriamente de V774104.

Simulações como estas, feitas pelas equipes espanhola e norte-americana, são importantes porque indicam aos astrônomos para onde direcionar seus telescópios para procurar pelo novo planeta. E ressaltam que ainda há muito a ser descoberto sobre nosso próprio Sistema Solar.

"Adoraria encontrá-lo", disse Michael Brown, que fez os cálculos juntamente com seu colega Konstantin Batygin. "Mas também ficaria feliz se outra pessoa o encontrasse. É por isso que estamos publicando este estudo. Esperamos que as pessoas se inspirem e comecem a procurar por ele."

Bibliografia:

Evidence for a Distant Giant Planet in the Solar System
Konstantin Batygin, Michael E. Brown
Astronomical Journal
Vol.: 151, Number 2
DOI: 10.3847/0004-6256/151/2/22




Outras notícias sobre:

Mais Temas