Informática

Para hackear uma impressora 3D basta um gravador de som

Para hackear uma impressora 3D basta um gravador de som
O som das impressoras 3D pode ser um mecanismo facilmente explorado na espionagem industrial. Na foto, exemplos de objetos impressos. [Imagem: Daniel Anderson / UCI]

Espionagem sonora

Hackear uma impressora 3D pode ser tão simples quanto ligar o gravador do celular ao lado enquanto o equipamento está funcionando.

Mohammad Al Faruque e seus colegas da Universidade da Califórnia em Irvine, nos EUA, mostraram que basta o gravador de um celular para capturar os sinais acústicos que guardam todas as informações necessárias para isso.

Com a gravação do ruído do movimento e do bico injetor da impressora 3D é possível fazer uma engenharia reversa e recriar o mesmo objeto em outra impressora.

O programa de engenharia reversa criado pela equipe conseguiu quase 90% de precisão na duplicação de um objeto aleatório usando apenas a engenharia reversa acústica.

Fluxos de informação e fluxos de energia

"Meu grupo basicamente tropeçou nesta descoberta no verão passado quando estávamos tentando entender a relação entre os fluxos de informação e os fluxos de energia," contou o professor Al Faruque.

"De acordo com as leis fundamentais da física, a energia não é consumida; ela é convertida de uma forma para outra - energia eletromagnética para cinética, por exemplo. Algumas formas de energia são convertidas em formas significativas e úteis; outras tornam-se emissões, que podem inadvertidamente liberar informações secretas," acrescentou o pesquisador.

As emissões produzidas pelas impressoras 3D são sinais acústicos que contêm mais informação do que se imaginava.

Para aqueles mais preocupados com proteção intelectual e sigilo industrial, o pesquisador sugere que se comece a pensar em formas de amortecer os sinais acústicos das impressoras, eventualmente introduzindo ruídos aleatórios que possam evitar a engenharia reversa.

Ou proibir que alguém se aproxime do equipamento com um celular enquanto ele estiver funcionando.





Outras notícias sobre:

Mais Temas