Espaço

Pássaro celeste conta história de estrela que não conseguirá fugir do seu destino

Pássaro celeste conta história de estrela que não conseguirá fugir do seu destino
Se não estivesse rodeada de tanta poeira, Zeta Ofiúco seria uma das estrelas mais brilhantes no céu - uma grande e bela estrela azul.[Imagem: NASA/JPL-Caltech/WISE]

Estrela azul

Fosse um pássaro celeste ou uma nave Klingon saindo da camuflagem, o fato é que você nunca seria capaz de ver diretamente este espetáculo, captado pelo telescópio espacial WISE (Wide-field Infrared Survey Explorer).

A estrela azul perto do centro da imagem é Zeta Ofiúco. Quando vista em luz visível, ela aparece como uma estrela vermelha relativamente fraca, cercada por outras estrelas fracas - você não verá nenhuma poeira espacial.

No entanto, nesta imagem capturada em infravermelho, descortina-se uma visão completamente diferente.

Zeta Ofiúco é realmente uma estrela azul muito grande, quente, e brilhante, abrindo caminho através de uma grande nuvem de poeira e gás interestelar.

Se não estivesse rodeada de tanta poeira, esta seria uma das estrelas mais brilhantes no céu - uma grande e bela estrela azul.

Divórcio cósmico

Os astrônomos acreditam que esta estrela em disparada foi no passado parte de um sistema estelar binário, com um parceiro ainda mais massivo.

Acredita-se que, quando o parceiro explodiu como uma supernova, arremessando para o espaço a maior parte da sua massa, Zeta Ofiúco foi repentinamente libertada da atração do seu parceiro e decidiu partir para outras plagas a toda velocidade - mais ou menos 24 km por segundo.

Zeta Ofiúco é aproximadamente 20 vezes mais maciça e 65.000 vezes mais luminosa do que o Sol.

Como todas as estrelas com esses extremos de massa e energia, ela se enquadra perfeitamente no ditado "viva rápido, morra jovem" - a estrela já está na metade da sua curta vida, estimada em 8 milhões de anos.

Em comparação, o Sol também está mais ou menos no meio da sua vida - de 10 bilhões de anos.

Enquanto o Sol acabará por se tornar uma anã branca, em uma morte tranquila e dificilmente percebida pela vizinhança cósmica, Zeta Ofiúco terá o mesmo destino do seu ex-parceiro, morrendo violentamente em uma enorme explosão chamada supernova.

As cores usadas na imagem representam determinados comprimentos de onda da luz infravermelha.

Azul e ciano (ou verde-azulado) representam a luz emitida em comprimentos de onda de 3,4 e 4,6 micrômetros, que é predominante nas estrelas. Verde e vermelho representam a luz de 12 e 22 micrômetros, respectivamente, que é emitida principalmente pela poeira interestelar.





Outras notícias sobre:

Mais Temas