Plantão

Polêmico drone que dispara em multidões chega ao mercado

Polêmico drone que dispara em multidões chega ao mercado
O "drone de choque" visa combater manifestações civis sem envolvimento direto dos policiais.[Imagem: Guy Martin/defenceWeb.co.za]

A fabricante de um drone, uma pequena aeronave não tripulada, que dispara balas de spray de pimenta já vendeu a primeira leva de aparelhos.

A companhia com base na África do Sul Desert Wolf afirma ter fechado a venda de 25 unidades da aeronave para uma mineradora depois de fazer demonstrações com o aparelho em uma feira de tecnologia.

Segundo a empresa, o drone é uma aeronave de "controle de tumultos" e que pode enfrentar multidões "sem colocar em risco as vidas dos seguranças".

O site da Desert Wolf afirma que o drone octacóptero Skunk tem quatro dispositivos do tipo usado em armas de paintball, cada um com capacidade para disparar até 20 balas por segundo.

Além da munição com spray de pimenta, a companhia afirma que o drone também pode ser carregado com balas de plástico e projéteis com tinta.

A máquina pode levar até 4 mil balas de uma vez e também um tipo de laser que emite luz cegante, além de um alto-falante que pode transmitir alertas para a multidão.

Controle de Armas Robóticas

Mas nem todos parecem aprovar o uso deste tipo de dispositivo para controle de manifestações.

Noel Sharkey, presidente do grupo ativista Comitê Internacional para Controle de Armas Robóticas, afirmou que o uso destes drones representa um risco de "autoritarismo e a repressão de protestos".

"Disparar bolas de plástico ou balas de plásticos do ar vai mutilar e matar. Usar spray de pimenta contra uma multidão de manifestantes é uma forma de tortura e não deveria ser permitido", disse.

"Nós precisamos urgentemente de uma investigação da comunidade internacional antes que estes drones sejam usados", acrescentou.





Outras notícias sobre:

Mais Temas