Mecânica

Ponte de concreto suporta oito super terremotos simulados

Redação do Site Inovação Tecnológica - 06/09/2010

Ponte de concreto suporta oito super terremotos simulados
Programas de computador coordenaram os movimentos de três grandes mesas agitadoras, acionadas hidraulicamente, sobre as quais a ponte foi construída. [Imagem: Mike Wolterbeek, University of Nevada]

Ponte à prova de terremotos

Engenheiros da Universidade de Nevada, nos Estados Unidos, testaram com sucesso o modelo de uma ponte de concreto que suportou a simulação de nada menos do que oito super terremotos em sequência.

A ponte experimental, com 35 metros de comprimento e pesando 200 toneladas, superou todas as expectativas dos seus projetistas ao suportar todos os oito terremotos simulados, cada um deles atingindo quase 7 pontos na escala Richter.

"Nós estimamos que a ponte iria cair quando atingisse uma deformação de 8 polegadas [20,3 cm], o que é muito, mas tivemos 10 polegadas [25,4 cm] de deflexão nas colunas de sustentação e a ponte ficou de pé e utilizável, mesmo com consideráveis tensões internas," conta Saiid Saiidi, um dos projetistas da ponte antiterremoto.

Simulação de terremoto

O modelo de ponte foi sacudido com forças bidirecionais para simular um terremoto de forma realista.

O objetivo dos pesquisadores foi imitar o terremoto de 6,9 pontos que atingiu a ponte Northridge, na Califórnia, em 1994. Para isso eles usaram dados gravados do terremoto real.

Programas de computador coordenaram os movimentos de três grandes mesas agitadoras, acionadas hidraulicamente, sobre as quais a ponte foi construída.

"Agora nós sabemos que a ponte teria sobrevivido àquele terremoto em boas condições e podendo ser utilizada," disse Saiidi.

Técnicas de construção

A equipe do Dr. Saiidi está experimentando e testando uma série de materiais e inovações para construir pontes que suportem terremotos de grandes magnitudes.

"O que é extraordinário com relação às técnicas de construção testadas nesta ponte é a utilização de fibras de vidro e de carbono nos suportes da ponte, colunas pré-moldadas, colunas segmentais e conexões especiais de aço tubular (pipe-pin) em um cenário de sísmica muito elevada," disse Saiidi.

Outras notícias sobre:

Mais Temas