Mecânica

Chineses apresentam projeto de avião hipersônico

Redação do Site Inovação Tecnológica - 27/12/2013

Chineses apresentam projeto de avião hipersônico
As entradas de ar duplas na parte inferior garante um equilíbrio entre alta sustentação e pequeno arrasto. [Imagem: Science China Press]

Avião hipersônico chinês

Pesquisadores chineses apresentaram um novo projeto de avião hipersônico que poderia voar de um lado ao outro do planeta em apenas duas horas.

A "asa voadora" hipersônica foi projetada pela equipe do Dr. Cui Kai, da Academia Chinesa de Ciências.

Segundo a instituição, a configuração com entradas de ar duplas na parte inferior atende aos requisitos para garantir o equilíbrio entre alta sustentação e pequeno arrasto, bem como um volume útil prático no interior da asa.

Todos os testes feitos até agora com essa tecnologia se basearam em testes de motores hipersônicos, e não exatamente de aviões hipersônicos - os motores são empurrados por foguetes.

Os projetos atuais de veículos hipersônicos, que dependem da introdução do ar em alta pressão em suas câmaras de combustão, se dividem em duas categorias, com projetos com entrada de ar frontal, no nariz da aeronave, e projetos com entrada de ar ventral, na parte inferior do avião.

O HTV, o HIFiRE e o HyCAUSE são do primeiro tipo, enquanto os X-43 e X-51 são do segundo tipo.

A proposta chinesa é um híbrido, com duas entradas de ar que em tudo se parecem com entradas frontais, mas que receberam uma seção adicional na parte superior, estruturada para dar sustentação.

Os engenheiros chineses acreditam que os aviões hipersônicos que usam ar atmosférico são uma evolução natural dos aviões supersônicos atuais, e por isso é necessário usar a experiência com as aeronaves atuais para desenhar suas sucessoras.

Por isso eles propõem o já bem conhecido conceito de asa voadora, e o uso de dois motores estatojato (scramjet).

Segundo eles, as simulações mostraram que esse design permite obter, ao mesmo tempo, um grande fluxo de ar para os motores, um fluxo uniforme do ar ao longo da aeronave e uma elevada taxa sustentação/arrasto.

"Os resultados da análise de todo o avião mostraram que a elevada taxa sustentação/arrasto depende em grande medida do formato do bordo frontal da asa," afirmou nota da Academia Chinesa de Ciências.

Outras notícias sobre:

Mais Temas