Mecânica

Quebra-gelo científico junta truculência e beleza

Quebra-gelos científico é truculento e belo
[Imagem: BAS/NERC]

Quebra-gelo científico

Navios quebra-gelo têm que ser fortes e truculentos para quebrar placas de até dois metros de gelo a seis quilômetros por hora.

O que não significa que eles precisem ser feios.

Este é o projeto do novo navio de exploração polar do Conselho de Pesquisas Ambientais (NERC) do Reino Unido.

Quando for lançado ao mar, em 2019, o quebra-gelo será capaz de fazer bem mais do que quebrar placas de gelo para levar os cientistas pelos mares congelados do Ártico e da Antártica.

O navio contará com laboratórios flexíveis, que poderão ser adaptados para múltiplos usos, incluindo pesquisas oceanográficas, climáticas, geofísicas e de ecossistemas marinhos.

O próprio navio ajudará nas pesquisas, sendo um verdadeiro sensor ambulante, coletando continuamente dados de superfície, subsuperfície e atmosféricos, e lançando e recolhendo equipamentos robotizados.

Quebra-gelos científico é truculento e belo
[Imagem: BAS/NERC]

Volta ao pólo em 80 dias

Com vários veículos a bordo, incluindo um helicóptero e submarinos robôs, a embarcação será usada como laboratório central, podendo ficar estacionada enquanto as equipes de pesquisas se deslocam para estudar áreas maiores.

Até 60 pesquisadores poderão ser acomodados em missões de 80 dias, cobrindo 24.000 milhas náuticas.

O navio polar terá 129,6 metros de comprimento, 25 metros de largura e um deslocamento bruto de 12.790 toneladas. Seu custo é estimado em £200 milhões (R$750 milhões).





Outras notícias sobre:

Mais Temas