Meio ambiente

Resíduo de tratamento de água é usado em cimento para calçadas

Lodo de tratamento de água

Pesquisadores da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC), da USP, mostraram que o lodo produzido em Estação de Tratamento de Água (ETA) pode ser usado na confecção de concreto para recomposição de calçadas.

O reaproveitamento evita que o lodo seja lançado na natureza, contaminando o ambiente. O concreto pronto tem a propriedade de encapsular resíduos metálicos perigosos presentes no lodo, evitando que causem riscos à saúde.

"Este resíduo normalmente não é reaproveitado, sendo simplesmente descartado em corpos hídricos, podendo atingir áreas de mananciais e comprometer o abastecimento de água", conta o professor Valdir Schalch, que coordenou a pesquisa.

Tratamento do resíduo

Na ETA foi utilizado o Cloreto de Polialumínio Composto (PAC), um produto químico que é aplicado para induzir a formação do lodo por meio de coagulação.

O resíduo foi levado para o Laboratório de Saneamento da EESC, onde passou por ensaios de lixiviação e solubilização.

Em seguida, foram feitos os ensaios de utilização do lodo na produção de concreto.

Os pesquisadores elaboraram três traços de concreto, cada um com diferentes proporções de lodo, cimento, areia e brita.

"Os melhores resultados surgiram com teores de lodo em torno de 10% na mistura", destaca Schalch. "A espessura para que o concreto possa ser aproveitado em calçadas é de aproximadamente 5 centímetros."

Encapsulação

Apesar de não ser perigoso e nem inerte, o lodo contém teores elevados de cádmio, chumbo e manganês, metais que podem trazer riscos à saúde humana.

"Quando o concreto é utilizado na calçada, esses metais ficam encapsulados, e o risco de contaminação se torna bastante reduzido," ressalta o professor.

De acordo com Schalch, o uso do lodo para confecção de blocos usados na construção de casas e edifícios não é recomendado, pois não existem normatizações reguladoras específicas, o que levou a sua utilização em calçamentos. "O concreto apresentou resultados satisfatórios para ser utilizado em recomposição de calçadas", acrescenta.

O reaproveitamento do lodo diminui os custos da destinação final do resíduo.

"A nova Política Nacional de Resíduos Sólidos, regulamentada pelo Decreto 7.404/2010, no que diz respeito aos resíduos de serviços públicos de saneamento básico, estabelece que eles não devem ser lançados em corpos hídricos, como rios e lagos", afirma o professor. "Por isso, a reutilização para produção de concreto é uma alternativa ambientalmente adequada".





Outras notícias sobre:

Mais Temas