Robótica

Robô suíço pode ser o tripulante da próxima missão a Marte

Robô suíço pode ser o tripulante da próxima missão a Marte
Os engenheiros estão realizando testes sobre uma superfície simulada que imita o solo do planeta vermelho com pedras e diversos tipos de areia. [Imagem: Ruag Space]

Um robô espacial construído na Suíça está se tornando um forte candidato para participar da exploração de Marte, organizada conjuntamente pelas agências espaciais da Europa e dos Estados Unidos.

Traços de vida em Marte

Um veículo europeu deverá participar da missão de exploração do planeta Marte a partir de 2018. A viagem ao planeta vermelho está orçada em mais de um bilhão de euros.

A versão de teste do robô espacial, denominado Exomars Rover está sendo atualmente desenvolvida em Zurique pelos engenheiros da empresa Ruag Space e pesquisadores da Escola Politécnica Federal de Zurique.

O objetivo principal da missão espacial da Agência Espacial Europeia (ESA) e da NASA, consiste em pesquisar traços de vida em Marte, afirmou Stéphane Michaud, engenheiro de sistemas da Ruag Space, durante a apresentação do veículo de teste.

Robô espacial marciano

O Exomars Rover, cujas rodas são metálicas, foi construído de forma a poder transpor obstáculos maiores, como pedras ou crateras.

Os engenheiros já estão realizando testes sobre uma superfície simulada que imita o solo do planeta vermelho com pedras e diversos tipos de areia.

O veículo é não apenas capaz de avançar e dar ré, mas também pode se deslocar lateralmente. "Estacioná-lo é uma brincadeira de criança", brincou M. Michaud.

Seus dezoito motores são alimentados por energia solar.

O robô explorador dispõe também de uma câmara capaz de filmar a 360°.

Robô suíço pode ser o tripulante da próxima missão a Marte
As seis rodas do robô espacial são metálicas. [Imagem: Ruag Space]

O Exomars Rover se desloca a uma velocidade de 40 metros por hora. Dessa forma ele economiza o máximo de energia. E seu movimento deve ser lento para não danificar seus próprios instrumentos científicos.

Ele responde aos comandos que serão transmitidos a cada manhã para Marte a partir da Terra. Durante o dia, o veículo deverá recolher amostras da superfície do planeta vermelho, além de outras tarefas.

Ele é também capaz de perfurar o solo até uma profundidade de dois metros.

Pesando 140 quilos, o Exomars Rover deverá operar por 210 dias em Marte.

À espera de um sinal

"Todavia, ainda há muito trabalho antes que o aparelho possa rodar sobre o solo do planeta vermelho," disse ele.

O maior desafio para a construção do Exomars Rover é dar-lhe condições para enfrentar as condições climáticas extremas de Marte, onde as temperaturas podem cair a até - 140°C, assim como seu solo de rochas arenosas.

Como o risco de atolamento é grande, os engenheiros optaram por equipá-lo com seis rodas, a exemplo dos robôs marcianos da NASA - embora isso não tenha impedido o atolamento do Spirit.

O irmão gêmeo do Spirit, o Opportunity, também atolou, mas conseguiu se safar rapidamente.

M. Michaud e sua equipe trabalham no projeto desde 2007. A ESA decidirá em abril próximo se a Ruag pode passar da concepção à fase industrial. Se for dado um sinal positivo, o veículo deve estar concluído em quatro anos e poderá chegar a Marte em 2018.

Antes disso, porém, a NASA deverá lançar o Curiosidade, um robô espacial do tamanho de um carro popular - veja NASA mostra ao vivo construção do robô que irá a Marte.





Outras notícias sobre:

Mais Temas