Energia

Roupa feita com nanofibras poderá retirar energia do movimento

Roupa feita com nanofibras poderá retirar energia do movimento
[Imagem: Zhong Lin Wang and Xudong Wang]

Nanogeradores do Dr. Zhong Li Wang, Capítulo 3. É bem assim que pode ser definido o anúncio dos novos progressos alcançados por esta pesquisa, que apresentou seus primeiros resultados em 2006. Para ver os capítulos anteriores, leia a reportagem Nanogeradores mais próximos da utilização prática.

Tecidos que geram energia

Com o desenvolvimento da técnica de fabricação dos nanofios geradores de eletricidade, os pesquisadores vislumbraram uma nova possibilidade para sua utilização: a fabricação de tecidos capazes de gerar energia.

O que não deixa de ser um bocado de otimismo, já que o protótipo agora apresentado tem apenas duas fibras - mas o conceito pode teoricamente ser estendido até uma roupa inteira.

Efeito piezoelétrico

Os nanofios de óxido de zinco geram eletricidade utilizando o efeito piezoelétrico - uma característica de determinados materiais que faz com que eles gerem eletricidade quando recebem uma pressão mecânica. No caso do tecido, a força mecânica poderia advir do movimento da pessoa ou até mesmo do vento.

Vento que também poderá ser aproveitado em cortinas feitas com o tecido gerador de eletricidade. Como os fios são nanoscópicos, mesmo a vibração sonora de um ambiente doméstico poderia resultar na geração de uma pequena quantidade de eletricidade.

Camadas de fibras

"Se nós pudermos combinar muitas dessas fibras em camadas duplas ou triplas em roupas, nós poderemos criar uma fonte de energia flexível e dobrável que, por exemplo, poderá permitir às pessoas gerar sua própria corrente elétrica enquanto caminham," afirmou o Dr. Wang.

As nanofibras geradoras de energia são ligeiramente diferentes dos nanofios apresentados nas etapas anteriores da pesquisa. Elas são feitas de materiais mais leves e conseguem capturar energia a partir de energia mecânica de baixa freqüência.

Roupa de ouro

Mas há também um inconveniente: a cada duas fibras, uma deve ser recoberta com ouro, para servir como eletrodo e para deflexionar as pontas dos nanofios.

No ritmo com que a pesquisa prossegue, contudo, os pesquisadores logo poderão aprimorar o projeto e descobrir novos materiais que permitam sua utilização prática. Afinal, uma roupa com metade das fibras recobertas de ouro provavelmente sairá bem mais caro do que uma porção de baterias de lítio.

Bibliografia:

Microfibre-nanowire hybrid structure for energy scavenging
Yong Qin, Xudong Wang, Zhong Lin Wang
Nature Physics
14 February 2008
Vol.: 451 Number 7180
DOI: 10.1038/nature06601




Outras notícias sobre:

Mais Temas