Informática

Rumo a uma câmera 360º totalmente flexível

Rumo a uma câmera 360º totalmente flexível
A capacidade de geração de imagens do conjunto flexível de lentes adaptativas passivas já foi testada experimentalmente, mas ainda será necessário construir um sistema de sensores igualmente dobrável. [Imagem: Columbia Computer Vision Laboratory]

Lentes flexíveis

Existem vários sistemas de câmeras que filmam ou fotografam em 360º - como as câmeras que captam as imagens do Google Street View - mas todos são grandes e exigem ópticas complicadas ou equipamentos robotizados.

Uma equipe da Universidade de Colúmbia, nos EUA, está criando um novo conceito de captura de imagem que pode se tornar uma alternativa muito mais simples e que poderia ser fabricada em escala industrial a um custo muito baixo.

O primeiro passo para isso foi dado como desenvolvimento de uma matriz de lentes moldadas em uma folha de silicone que se adapta passivamente a qualquer irregularidade superficial para capturar imagens de alta qualidade.

Óptica adaptativa passiva

Capturar imagens geradas por uma multiplicidade de lentes é complicado porque, quando o conjunto de lentes se dobra, criam-se lacunas entre os campos de visão das lentes adjacentes, gerando aberrações e um serrilhado na imagem.

A equipe resolveu este problema desenvolvendo uma matriz elástica adaptativa que permite que o comprimento focal de cada lente varie de acordo com a curvatura local da folha de silicone de uma forma que anula o serrilhado nas imagens capturadas. Esse sistema de adaptação óptica passiva evita o uso de mecanismos mecânicos ou elétricos complexos para controlar independentemente cada lente da matriz.

Isto deverá facilitar a construção do sistema de sensores, um CCD flexível, que será necessário fabricar agora para que se consiga criar uma câmera flexível 360º completa.

Câmera flexível

Como é totalmente flexível, essa óptica poderá se tornar a base de uma câmera que possa ser enrolada em torno de qualquer superfície, por mais irregular que seja e, ainda assim, gerar imagens fiéis, de pontos de vista inusitados e cobrindo áreas que exigiriam várias câmeras comuns, sem contar os softwares necessários para juntar as imagens nesses sistemas tradicionais.

Seria possível, por exemplo, enrolar a câmera ao redor de um poste para que um sistema de vigilância monitore continuamente e de forma integral todos os arredores. Fixá-la em carros e até em roupas são outras possibilidades aventadas pelos pesquisadores.

"Embora a indústria de câmeras venha fazendo progressos notáveis em encolher as câmeras até dispositivos minúsculos com qualidade de imagem cada vez maior, estamos explorando uma abordagem radicalmente diferente de imageamento. Acreditamos que existem inúmeras aplicações para câmeras que sejam grandes no formato, mas muito finas e altamente flexíveis," disse o professor Shree Nayar, coordenador da equipe.

Bibliografia:

Towards Flexible Sheet Cameras: Deformable Lens Arrays with Intrinsic Optical Adaptation
Daniel C. Sims, Yonghao Yue, Shree K. Nayar
IEEE International Conference on Computational Photography Proceedings
DOI: http://www.cs.columbia.edu/CAVE/projects/flexible_sheet_cameras/Sims_ICCP16.pdf




Outras notícias sobre:

Mais Temas