Informática

Sistema de armazenamento digital de longo prazo evolui com a tecnologia

Sistema de armazenamento digital de longo prazo evolui com a tecnologia

Os dados digitais estão por toda parte: livros, filmes, imagens e praticamente todo o conhecimento gerado pela humanidade estão hoje já armazenados em formato digital ou sendo rapidamente convertidos em bits. Manter esses dados por longo prazo, contudo, não é um problema que se possa chamar de definitivamente solucionado.

Armazenamento de longo prazo

A melhor opção para o armazenamento digital de longo prazo hoje disponível é a fita magnética, que tem uma vida útil estimada em 100 anos. E, uma vez gravada, ela não consome energia. É por isso que empresas e governos utilizam sistemas de armazenamento e backup em fitas magnéticas. A vida útil estimada dos discos ópticos, como CDs e DVDs, não passa de 10 anos, uma marca da qual os discos rígidos nem se aproximam, devido ao desgaste constante de suas inúmeras partes móveis.

Pensando nesse problema, cientistas da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, criaram um sistema que, segundo eles, poderá garantir o armazenamento seguro de informações digitais por um período ilimitado de tempo. Em vez de inventar uma nova forma de armazenamento, eles criaram uma camada de software que acessa os dados independentemente do meio físico onde eles estão armazenados.

Evoluindo com a tecnologia

O protótipo do sistema, batizado de Pérgamo, se baseia justamente em discos rígidos que, embora pouquíssimo duráveis, são mais baratos e de acesso mais rápido. É bom lembrar que o objetivo do sistema não é manter um backup de dados, que se espera nunca será utilizado, mas a manutenção de arquivos que deverão ser acessados constantemente ao longo do tempo.

Pérgamo é o nome da cidade grega em cuja biblioteca o papiro começou a ser substituído pelo bem mais durável pergaminho. O próprio nome pergaminho é uma homenagem à cidade.

E o que acontecerá quando os discos rígidos se tornarem obsoletos? Eles poderão ser simplesmente trocados por qualquer nova tecnologia, que também será capaz de se comunicar por meio do protocolo Pérgamo. Da mesma forma que se faz um hot swapping de discos em um sistema de armazenamento atual, será possível fazer uma troca a quente de meios de armazenamento diferentes.

"Em 50 anos, os dispositivos poderão utilizar armazenamento holográfico," exemplifica o pesquisador Mark Storer. "Na medida em que você possa encapsular o novo meio de armazenamento nessa camada inteligente que fala nesse protocolo, ele poderá participar da rede."

Tomos inteligentes

A rede Pérgamo utiliza blocos individuais de armazenamento, chamados tomos, que podem ser em construídos com qualquer tecnologia, o que garante sua evolução tecnológica. Cada tomo do protótipo é formado por um disco rígido, ao qual foi adicionado um microprocessador de baixa potência, um cartão de memória não-volátil e uma porta Ethernet.

O gasto de energia da nova rede foi alvo de grande preocupação dos pesquisadores. Quando não está sendo utilizado, o bloco básico de um HD pode entrar em modo de hibernação automaticamente. Quando em uso, seu consumo é de 11,5 watts. "Cada tomo é como um minicomputador, mas com exigências de energia muito baixas," diz o pesquisador. O nível de consumo permite que cada tomo seja alimentado pela própria rede Ethernet, utilizando a tecnologia Power over Ethernet, dispensando cabos elétricos adicionais.

Bibliografia:

Pergamum: Replacing Tape with Energy Efficient, Reliable, Disk-Based Archival Storage
Mark W. Storer, Kevin M. Greenan, Ethan L. Miller, Kaladhar Voruganti,
6th USENIX Conference Proceedings
February 2008
Vol.: Pages 1-16




Outras notícias sobre:

Mais Temas