Energia

Magnetismo é transportado à distância

Mangueira magnética transporta magnetismo à distância
Plano geral da construção do conduíte magnético, que transporta o magnetismo à distância. [Imagem: C. Navau et al. - 10.1103/PhysRevLett.112.253901]

Transporte de magnetismo

No ano passado, o físico espanhol Carles Navau demonstrou a possibilidade de construir uma mangueira magnética capaz de transportar o magnetismo para múltiplos locais.

Assim como os fios metálicos transportam a eletricidade e as fibras ópticas transportam a luz, a mangueira magnética transporta campos magnéticos estáticos.

Agora, Navau e seus colegas da Universidade Autônoma de Barcelona construíram um protótipo totalmente funcional da mangueira magnética, com 14 centímetros de comprimento.

Como demonstrado no estudo original, a mangueira magnética consiste de um cilindro feito de material ferromagnético, recoberto com um material supercondutor.

O protótipo transportou o campo magnético de um ponto a outro com uma eficiência 400% maior do que qualquer outra técnica existente - nenhuma das quais nem de longe atinge a distância alcançada pela mangueira.

Segundo o grupo, seus cálculos indicam que essa eficiência pode ser ainda maior se o tubo ferromagnético for recoberto com camadas mais finas intercalando o material supercondutor agora utilizado e o mesmo material ferromagnético usado no tubo interno.

Mangueira magnética transporta magnetismo à distância
O transporte de magnetismo abre um campo totalmente novo de tecnologias. [Imagem: C. Navau et al. - 10.1103/PhysRevLett.112.253901]

Personalidade magnética

Apesar de o protótipo ter apenas alguns centímetros, a técnica pode ser implementada em qualquer escala - tanto no sentido do maior, quanto do menor, chegando à nanoescala.

Isso abre uma infinidade de aplicações possíveis.

O magnetismo é o elemento básico de tecnologias que vão dos motores e dos geradores elétricos, até a informática. Ocorre que, até agora, a condução e transferência de campos magnéticos é algo muito limitado, normalmente circunscrito às bobinas.

"Materiais ferromagnéticos, como as ligas de ferro, são usados para guiar esses campos em circuitos eletrônicos ou em transformadores, mas sua intensidade cai rapidamente com a distância, e sua aplicação é muito limitada," explica o professor Àlvar Sánchez, membro da equipe.

Segundo ele, a mangueira magnética cria campos de aplicação similares aos criados com a transmissão da luz pelas fibras ópticas.

Talvez nem tanto, já que a mangueira magnética, por usar materiais supercondutores, só funciona em temperaturas muito baixas.

Mas isso não será problema, por exemplo, para a computação quântica, onde "esguichos" magnéticos em nanoescala poderão ser usados para controlar qubits de forma seletiva, eventualmente resolvendo um dos grandes problemas da área - a maioria dos experimentos com os tão sonhados computadores quânticos também só funciona em temperaturas criogênicas.

Em uma outra abordagem, que ainda não alcançou o nível prático, outras equipes estão tentando desenvolver uma forma de teletransportar o magnetismo, eventualmente chegando a um transporte wireless dos campos magnéticos.

Bibliografia:

Long-distance transfer and routing of static magnetic fields
C. Navau, J. Prat-Camps, O. Romero-Isart, J. I. Cirac, A. Sanchez
Physical Review Letters
Vol.: 112, 253901
DOI: 10.1103/PhysRevLett.112.253901




Outras notícias sobre:

Mais Temas