Mecânica

Veículo de resgate high-tech chega a qualquer área de desastre

Veículo de resgate high-tech chega a qualquer área de desastre
O elo fraco do conjunto é o veículo no qual a carroceria-ambulância está instalada - se o veículo aguentar, a carroceria 4 SAVE aguenta. [Imagem: Strobel]

Quando acontece um desastre, como um terremoto ou uma inundação, terão pouca serventia os preparativos, o planejamento prévio, o treinamento de pessoal e as reservas de suprimentos, caso não se consiga chegar rapidamente ao local do acidente.

Na maioria dos casos, o que se vê é uma total dependência dos helicópteros, que são poucos e não podem ser utilizados em muitos casos, nos quais o acidente envolve mau tempo, por exemplo.

Ambulância 4 x 4

Agora já é possível contar com um auxílio adicional. Engenheiros europeus desenvolveram um veículo de resgate polivalente que conta com as mais modernas tecnologias disponíveis para permitir o trabalho de médicos e paramédicos, além de possibilitar o socorro e a retirada de até quatro pacientes por vez do local do acidente.

A grande vantagem do projeto é que a plataforma 4 SAVE está totalmente contida em uma espécie de carroceria super-reforçada, tipo furgão. A carroceria possui um sistema de fixação universal, permitindo que ela seja facilmente acoplada a uma grande variedade de veículos, principalmente a veículos com tração integral e veículos militares.

Impactos de até 10 G

A carroceria-ambulância consegue suportar impactos equivalentes a até 10 G, o que equivale a um impacto direto a uma velocidade de 30 km/h. Isto significa que o elo fraco do conjunto será provavelmente o veículo no qual ela será instalada - se o veículo aguentar, a carroceria 4 SAVE aguenta.

Para testar o conceito, os pesquisadores usaram um veículo militar modelo Unimog, uma espécie de Ferrari dos veículos 4 x 4. Mas o equipamento já foi avaliado também em caminhões com tração integral das marcas Mercedes, Fiat e Volkswagen.

Carroceria de alumínio e titânio

Além de superar todas as especificações de segurança e resistência, o projeto se preocupou em manter a carroceria de resgate o mais leve possível, para que ela não exija demais do veículo onde for instalada, facilitando o acesso a locais muito difíceis, onde veículos comuns não conseguem chegar.

Para isto, foram empregados materiais projetados para uso aeroespacial, incluindo fibra de carbono e ligas especiais de alumínio e titânio.

A carroceria-ambulância possui ainda um sistema de suspensão ativo, com molas e pistões a gás, minimizando os impactos dos solavancos sobre os pacientes que estiverem sendo removidos. Ainda assim, a carroceria pesa 50% a menos do que os equipamentos equivalentes disponíveis.





Outras notícias sobre:

Mais Temas